Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Operação da Polícia Federal mira quadrilha que fraudava Benefícios Emergenciais no Maranhão

Operação Sexta Parcela ocorre ainda nos estados da Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima e São Paulo.

Operação foi realizada em oito estados, entre eles, o Maranhão, nas cidades de Imperatriz e Davinópolis (Foto: Divulgação)

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 17, a Operação Sexta Parcela, em continuidade ao combate às fraudes em Benefícios Emergenciais, direcionados a parte da população com dificuldades financeiras em razão da pandemia. A ação policial foi realizada em oito estados, entre eles, o Maranhão, nas cidades de Imperatriz e Davinópolis.

A PF informou que os trabalhos realizados são resultantes de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, CAIXA, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União.

Os objetivos da atuação interinstitucional conjunta são a identificação de fraudes massivas e a desarticulação de organizações criminosas, com a responsabilização de seus integrantes, além de recuperar os valores para o erário.

A Polícia Federal já realizou a deflagração de 98 operações policiais visando o combate às fraudes em Benefícios Emergenciais, com a expedição de mais de 380 Mandados de Busca e de 50 Mandados de Prisão.

No Maranhão, a Polícia Federal cumpriu dois Mandados de Busca e Apreensão nos municípios de Imperatriz/MA e Davinópolis/MA, visando obter elementos de prova relacionados a fraudes que totalizaram R$ 38.600,00 e 14.400,00, respectivamente, em benefício dos investigados.

No primeiro caso, foi criada uma empresa fantasma para possibilitar a subtração de valores através de transações indevidas com a utilização de máquina de cartão de crédito, tendo como vítimas 60 beneficiários do auxílio emergencial do Governo Federal. No segundo caso, foram emitidos 24 boletos descontados indevidamente em 23 contas de vítimas distintas, fatos ocorridos nos meses de maio e junho de 2020.

A Operação Sexta Parcela cumpre 35 Mandados de Busca e Apreensão, dois Mandados de Prisão Temporária, um Mandado de Prisão Preventiva e 12 Mandados de Sequestro de Bens. Um total de aproximadamente R$ 410 mil foram bloqueados por determinação judicial.

As ações ocorrem ainda nos estados da Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima e São Paulo, com a participação de aproximadamente 140 Policiais Federais.

Carregando