Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pais da linha de frente celebram com superação no Maranhão

Eles abriram mão de estar com seus filhos e familiares, para enfrentar nas ruas ou empresas os perigos de um vírus desconhecido.

Foto: Reprodução

Desde o início da pandemia da Covid-19, diversos pais que são também profissionais de serviços essenciais tiveram que fazer grandes sacrifícios para manter seus respectivos trabalhos, em áreas como energia elétrica, internet e telefonia, saúde, varejo, água e saneamento básico. Eles ajudaram a população nos tempos mais difíceis desde o último mês de maio de 2020.

Os profissionais abriram mão de estar com seus filhos e familiares, para enfrentar nas ruas ou empresas os perigos de um vírus desconhecido, tudo em prol da comunidade.

O técnico em análises clínicas do Laboratório Lacmar Carlos Jr. viu seu trabalho duplicar em função da pandemia. Ele que tem um filho de dez anos e sempre foi um pai presente teve a rotina alterada: “Eu realmente precisei ficar ausente de casa e do meu filho para poder ajudar a cuidar de pessoas enfermas e que precisavam com urgência do meu trabalho”, disse ele.

O mesmo aconteceu com o médico intensivista Aminadabe Sousa, que trabalha no Hospital São Luís (HSLZ), prestando atendimento aos servidores estaduais. No total já foram salvos 2.800 pacientes da Covid-19 no hospital.

“Esse tem sido o momento mais desafiador de nossas carreiras em geral. Mas a cada vida salva, tudo ganha um novo sentido”, relatou o médico que arrisca sua própria vida para salvar seus pacientes.

Arriscar a vida também faz parte da rotina do eletricista da Equatorial Maranhão Radielson Pereira, que precisou redobrar a atenção e cuidar do emocional nesses tempos de pandemia. “No nosso trabalho qualquer erro pode ser fatal, então precisei ter foco redobrado e muito equilíbrio emocional, sempre pensando também no meu filho e na minha família, para que sofressem minimamente os impactos dessa pandemia”, relatou o eletricista.

Já no varejo, o maior risco foi o desemprego e o desabastecimento. No Grupo Potiguar, o gerente da Loja de Imperatriz Reginaldo Gonçalves contou que a cada medida restritiva era preciso se adequar rapidamente para não deixar os clientes na mão. Foram muitas mudanças e grandes incertezas nos últimos meses.

O técnico de instalação da TVN Emilson Sousa da Silva é grato por ter conseguido manter seu emprego entre tantos desempregados no país. “Sei que sou um privilegiado por estar trabalhando nessa grande empresa que é a TVN. Tem sido um período desafiador para todos, mas recarrego meu otimismo em ver minha família com saúde e nossos clientes bem atendidos com serviços essenciais como telefonia, internet e TV a cabo”, disse ele.

Muitos lojistas tiveram que se reinventar para driblar a crise e a queda nas vendas. O presidente da CDL São Luís, Fábio Ribeiro, foi triplamente desafiado – como lojista que precisou investir no digital, de repente; como líder da entidade que atuou forte na orientação aos lojistas e lançando medidas educativas no comércio, e como pai de dois filhos a quem ele carinhosamente chama de “meu rei” e “minha princesa”, com os quais conviveu ainda mais durante a fase de lockdown.

“Apesar de todos os desafios, pude construir laços ainda mais profundos com meus filhos, que são tudo para mim. Filhos são sempre o maior tesouro de um pai”, lembrou Fábio.

E para os filhos os pais são sempre um super herói, aquele que resolve tudo, e que nessa pandemia precisou ser ainda mais múltiplo e estratégico: “Ser pai é criar, amar, proteger, ensinar, transformar, repreender, acalmar, sorrir e chorar junto. Quem é pai sabe que esse é o maior privilégio de sua vida”, resumiu sabiamente Clodoilto da Cruz, colaborador de operação e manutenção da BRK Ambiental.

Carregando