Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Intenção de consumo avança no mês de setembro em São Luís

Pesquisa da Fecomércio-MA mostra que incertezas não afastam retomada econômica.

Intenção de consumo avança no mês de setembro em São Luís (Foto: Divulgação)

A Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) realizada pela Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Maranhão (Fecomércio-MA) e Confederação Nacional do Comércio (CNC) apresentou alta de 4,23% em setembro. O avanço de 2,7 pontos do indicador na passagem mensal mostra gradativa melhora na perspectiva no consumo doméstico das famílias de São Luís.

Este é o quarto mês consecutivo de crescimento do índice que, em setembro, chega aos 66,5 pontos, maior nível em 2021. Mesmo com a retomada gradual da economia, a intenção do consumo permanece pessimista (abaixo dos 100 pontos), indicando que as famílias ludovicenses ainda não vislumbram forte otimismo no cenário local.

Aquelas com renda mensal de até 10 salários-mínimos sentem de maneira significativa a alta dos preços, acirrando o custo de vida doméstico, fator que impede uma projeção positiva mais acelerada.

No entanto, ressalta-se que, com a proximidade das datas sazonais de fim de ano, o índice de compras para o comércio tem tendência de melhora, incentivado, especialmente, pelo Dia das Crianças e Natal.

“É necessário ter cautela e enxergar este crescimento como uma retomada gradativa ao momento pré-pandêmico, pelo qual havia menor pressão inflacionária, taxa de juros mais baixas e câmbio em menores patamares do que o atual”, ressaltou o presidente da Fecomércio-MA, José Arteiro.

Aos poucos, a expectativa de compra das famílias tem crescido. Na avaliação da série histórica de 2021, setembro apresenta o melhor resultado do ano. Em janeiro, a pesquisa marcava 54,3 pontos, ou seja, houve um salto de 22,4% até aqui.

Os efeitos negativos da pandemia na vida do consumidor são ainda mais expressivos quando feita a comparação de setembro deste ano com o mesmo período do ano passado. De lá para cá, o crescimento relativo foi de 33,8%.

Carregando