Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Após cheia do Rio Tocantins, cerca de 85 famílias estão desabrigadas em Imperatriz

Municípios com histórico de ocorrências de enchentes já recebem atendimento das equipes dos Bombeiros

Cerca de 85 famílias estão desabrigadas em Imperatriz (Foto: Reprodução)

Devido à cheia do Rio Tocantins, em Imperatriz, aproximadamente 85 famílias estão desabrigadas. Destas, 62 estão em abrigos cedidos pelas prefeituras; e outras 23, consideradas desalojadas, precisaram se abrigar com parentes e amigos.

“Foram iniciados trabalhos para retirada de moradores próximos às margens do rio. O fator complicador é o grande volume de água”, frisou o comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo.

Municípios com histórico de ocorrências de enchentes, por conta do período chuvoso, já recebem atendimento das equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA). Cidades nas regiões em torno dos rios Tocantins, Parnaíba e Mearim já sentem os efeitos das chuvas. Na lista, estão Pedreiras, Formosa da Serra Negra, Imperatriz e Benedito Leite. A Defesa Civil, órgão do CBMMA, monitora as cidades para prevenção de acidentes e presta auxílio a desabrigados.

A situação em Imperatriz é a que requer mais atenção, pois o nível do Rio Tocantins chega perto dos nove metros acima do normal: 8,64m. O alerta se estende a Benedito Leite, onde a cheia do Rio Parnaíba deixou residências submersas; Pedreiras, que já está sob monitoramento dos Bombeiros, por conta da cheia do Rio Mearim, que ocorre no período de chuvas e a cidade sofre com as enchentes.

Em Formosa da Serra Negra, quatro famílias estão desabrigadas e já estão sendo assistidas pelos Bombeiros.

O comandante Célio Roberto chamou a atenção para o aumento do nível do Rio Tocantins, devido à continuidade das chuvas, mas garante que o planejamento seguido tem dado resultados e possibilitado o resgate seguro das pessoas.

“Estamos com a situação controlada para poder fazer o deslocamento das famílias, sem grandes riscos. É um desconforto para as famílias, por deixarem seu lar, mas não há motivos para preocupações. O Governo, por meio do Corpo de Bombeiros, está trabalhando para garantir a segurança da população ribeirinha”, afirmou.

Carregando