Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo autoriza concurso com 699 vagas para a Receita Federal

Serão 230 vagas para Auditor – Fiscal, cujo salário inicial é de R$ R$21.487,09 e 469 vagas para Analista Tributário cujo salário inicial é de R$ 12.142,39.

Foto: Reprodução

O Governo Federal publicou, nesta segunda-feira (13), autorização para a realização de concurso público para a Receita Federal. Serão 230 vagas para Auditor – Fiscal, cujo salário inicial é de R$ R$21.487,09 e 469 vagas para Analista Tributário, cujo salário inicial é de R$ 12.142,39.

Para concorrer é necessário ter o nível superior em qualquer área. Isso vale tanto para o analista, quanto para o auditor-fiscal. O próximo passo será a formação de uma Comissão, que ficará responsável pelo acompanhamento do certame e contratação da banca. O prazo para a publicação do edital será de até seis meses. Além disso, foi autorizada a redução, para dois meses, do prazo de antecedência mínima entre a publicação do edital e a realização da primeira prova.

A Receita Federal não realiza concurso para servidores efetivos desde 2014. Na época, a Escola de Administração Fazendária – ESAF foi a banca organizadora e o edital ofertou 278 vagas para auditor-fiscal. Os concorrentes passaram por provas objetivas e discursivas e sindicância de vida pregressa. Na época, a prova objetiva contou com 140 questões, sendo 70 de Conhecimentos Gerais (20 de Língua Portuguesa, dez de Inglês ou Espanhol, dez de Raciocínio Lógico-Quantitativo, dez de Administração Geral e Pública, dez de Direito Constitucional e dez de Direito Administrativo) e 70 de Conhecimentos Específicos (15 de Direito Tributário, 10 de auditoria, 20 de Contabilidade Geral e Avançada, 10 de Legislação Tributária e 15 de Comércio Internacional e Legislação Aduaneira).

Para analista, o último concurso é de 2012. A prova objetiva foi composta por 135 questões, sendo 75 de Conhecimentos Básicos (20 de Português, dez de Inglês ou Espanhol, 10 de Raciocínio Lógico-Quantitativo e 25 de Direito Administrativo e Direito Constitucional, 10 de Administração Geral) e 60 de Conhecimentos Específicos (20 de Direito Tributário, dez de Contabilidade Geral e 30 de Legislação Tributária e Aduaneira).

A prova para quem optou pela área/especialidade de Informática, ao invés das 30 questões abordarem Legislação Tributária e Aduaneira, a banca do certame as substituiu por 30 questões de Informática. Os candidatos também passaram por avaliação dissertativa e a uma etapa de sindicância de vida pregressa.

Carregando