Gasmar trabalha para a expansão do uso do gás natural em diversos setores

Gás Natural Veicular será primeiro passo para criação da indústria do gás natural no Maranhão.

Fonte: Redação / O Informante

Na última quarta-feira (6), a indústria do gás no Maranhão alcançou um novo patamar com a assinatura do Contrato de Suprimento de Gás Natural para Gás Natural Veicular (GNV) entre o Governo do Estado, por intermédio da Companhia de Gás Maranhense (Gasmar) e a empresa Eneva. A solenidade aconteceu no Palácio dos Leões, com a presença do governador Carlos Brandão e de representantes da administração estadual e da classe empresarial.

Gás Natural Veicular será primeiro passo para criação da indústria do gás natural no Maranhão (Foto: Divulgação)

Para o diretor presidente da Gasmar, Allan Kardec Dualibe Filho, o Maranhão prepara-se, de forma autônoma, com organização e autossuficiência na construção de um projeto para gerar energia própria para a sua população, em um cenário de transição energética, gerando emprego e renda.

“Vamos trabalhar para a expansão do uso do gás natural em setores diversificados como padarias, oficinas, negócios em shoppings e abastecimento de hospitais. O impacto econômico é muito grande. É direto no bolso do motorista e no dia a dia. E há um impacto lateral, imediato, durante a própria produção e logística da indústria do gás com a absorção de mão de obra local”, explica.

Para o governador Carlos Brandão, o evento foi um marco na história da industrialização do Maranhão, que disponibilizará o gás a partir do próximo ano.

Brandão prevê a utilização do gás natural veicular (GNV) no âmbito social, para atender profissionais que precisam de combustível mais barato e menos poluente, como motoristas de táxis e aplicativos. E também no desenvolvimento da industrialização por meio do atendimento às indústrias como a Vale, a Alumar, a Susano e outras.

“O fato de ser um combustível mais barato, quando comparado à gasolina e ao diesel, o gás natural pode agregar às empresas maiores índices de competitividade, além de geração de emprego e renda”, destacou.

A presença de gás natural, na Bacia do Parnaíba, eleva o estado do Maranhão a uma posição privilegiada no setor de energia do país, já que esse combustível é uma das principais fontes de energia utilizadas no mundo.

A Bacia do Parnaíba está localizada na região nordeste ocidental do território brasileiro, ocupando grandes áreas nos estados do Maranhão, do Piauí e de pequenas faixas do leste do Pará, oeste do Ceará e norte do Tocantins.

Os poços da Bacia do Parnaíba proporcionam a produção de até 8,4 milhões de metros cúbicos, por dia, de gás natural. E a partir de agora o Maranhão começa a se preparar para a etapa de comercialização e distribuição do gás natural na forma de Gás Natural Veicular (GNV) para a população maranhense, que será feito a partir de 2024.

Além da economia, em tempos de transição energética, o GNV vai gerar emprego e renda aos maranhenses com uma nova cadeia econômica no estado: oficinas mecânicas para adaptação dos veículos, postos de combustíveis, fábricas, entre outros.

O diretor executivo de Marketing, Comercialização e Novos Negócios da Eneva, Marcelo Cruz Lopes, também participou do evento e falou sobre as características do gás natural que atraem o setor industrial, especialmente em São Luís e Imperatriz.

“Desde o ano passado, firmamos os primeiros contratos estruturantes para a viabilização do negócio com as empresas Vale e Suzano para atendimento da planta em Imperatriz. E estreamos uma nova forma de utilizar o recurso do Estado, não só pra geração de eletricidade, mas atendimento à indústria, para fazer com que nossa missão de liderar a transmissão energética de fato aconteça”, explicou.

O contrato entre Gasmar e a Eneva indica uma aposta no gás natural veicular (GNV) como um combustível competitivo capaz de atrair para o Maranhão novos investimentos, novas indústrias e novas cadeias produtivas para o desenvolvimento do estado.