Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Campanha Janeiro Roxo reforça o combate a hanseníase no Maranhão

Em 2019, o Maranhão registrou 2.997 novos casos da doença no estado – uma redução de 3,5% em relação a 2018.

Secretário Carlos Lula faz a abertura da Campanha Janeiro Roxo (Foto: Divulgação)

Para alertar a população sobre os sinais e sintomas da hanseníase e promover o diagnóstico e tratamento precoces, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) fez a abertura da Campanha Janeiro Roxo, nesta quarta-feira (8), no Hospital Aquiles Lisboa. A campanha tem como tema “Hanseníase, tem tratamento, tem cura, tem a nossa ajuda!” e é dedicada à conscientização, prevenção e luta contra a doença. As ações ocorrem durante todo o mês em unidades do Estado.

“É uma campanha que visa sensibilizar a sociedade para a hanseníase. Infelizmente, o Brasil ainda é um território onde a doença é epidêmica, onde temos um volume da doença ainda não controlada. Nosso desafio é reduzir pelo menos 90% dos casos no Maranhão em três anos. O Bonfim foi por muitos anos estigmatizado. O que a gente quer, agora, é transformar o espaço no oposto, em um símbolo de que a gente conseguiu erradicar a doença do estado”, disse secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula.

Em 2019, o Maranhão registrou 2.997 novos casos da doença no estado – uma redução de 3,5% em relação a 2018, quando foram registrados 3.105 casos. O resultado é fruto, principalmente, do trabalho educativo e de treinamento de profissionais de saúde desenvolvido pelo Programa Estadual de Controle da Hanseníase, Hospital Aquiles Lisboa (HAL) e Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo.

“A campanha é importante pela visibilidade que é dada para o que é um grande problema de saúde pública no nosso estado. Vamos realizar várias atividades na capital e no interior do estado para que a sociedade reconheça que esta é uma doença que pode ser controlada se todos tiverem unidos” afirmou Lea Costa, superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES.

No Maranhão, o Programa Estadual de Hanseníase fará ações da campanha, como visitas às unidades de saúde para mobilizar as equipes para realização de campanha educativa sobre hanseníase; rastreamento de casos entre os usuários e profissionais, com o intuito de alcançar o máximo de público no estado.

No dia 18 de janeiro, das 8h às 13h, haverá o Dia D da campanha, no Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo, com atendimento à população com objetivo de identificar pessoas acometidas para tratamento; divulgar sinais e sintomas da hanseníase.

Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, Maria Raimunda Mendonça, um dos focos do programa é trabalhar nas atividades de apoio aos municípios, que fazem a busca pelos casos para o tratamento.

“Damos capacitação e apoio à realização sistemática de busca, supervisões em serviço para qualificar esse atendimento. A doença tem cura! Independentemente do diagnóstico ou em qualquer fase do tratamento, ela pode ser curável. O problema é que, quando diagnosticada numa forma avançada, o paciente, embora curado, com a morte das bactérias, ele pode permanecer com as sequelas”, reforçou Maria Raimunda Mendonça.

No Maranhão, o Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo e o Hospital Aquiles Lisboa (HAL) são referência para o tratamento da doença. “Fazemos esse trabalho minucioso no dia a dia com o intuito de informar para a população quais são os sinais da hanseníase, o que é a doença, fazer o diagnóstico precoce e cuidar desse paciente para que ele tenha qualidade de vida. É importante que ele possa terminar o tratamento bem, sem incapacidades físicas, devolvê-lo para a sociedade da mesma forma que ele estava antes da doença”, afirmou o diretor geral do hospital, Raul Fagner Leite da Silva.

SAIBA MAIS
A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, transmitida pelas vias áreas superiores (tosse ou espirro), através do convívio prolongado de uma pessoa doente, que não esteja em tratamento, para uma pessoa saudável.

Carregando