Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ministério da Saúde nega registro de 1º caso de coronavírus no Brasil

Ministério informou que não há detecção de nenhum caso suspeito no Brasil de Pneumonia Indeterminada relacionado ao evento na China.

Pelo menos quatro países já registraram casos de Coronavírus: Estados Unidos, Coreia do Sul, Tailândia e Japão (Foto: Kin Cheung/AP)

O Ministério da Saúde (MS) descartou nesta quarta-feira (22), o surgimento do primeiro caso de coronavírus no Brasil, registrado no estado de Minas Gerais, como chegou a ser noticiado pela Secretaria de Saúde daquele estado.

Na parte da manhã, a SES-MG havia levantado a hipótese de que uma mineira de 35 anos teria contraído o novo coronavírus em viagem à China. O órgão disse que se trata de uma mulher de 35 anos que esteve em Xangai, e desembarcou na capital mineira no sábado 18, “com sintomas respiratórios, compatíveis com doença respiratória viral aguda”.

“Tendo em vista o contexto epidemiológico atual do país onde a paciente esteve, foi considerada a hipótese de doença causada pelo novo Coronavírus, que é microrganismo de alerta sanitário internacional”, informou a SES-MG, em nota oficial. A paciente está internada no Hospital Eduardo de Menezes, na Região do Barreiro, e encontra-se clinicamente estável. O caso segue em investigação.

NOTA DO MINISTÉRIO

O Ministério da Saúde, por sua vez, divulgou nota, desmentindo o caso em Minas, e informando que, até o momento, não há detecção de nenhum caso suspeito no Brasil de Pneumonia Indeterminada relacionado ao evento na China.

“Não há detecção de nenhum caso suspeito no Brasil de Pneumonia Indeterminada relacionado ao evento na China”, diz a nota do Ministério da Saúde.

“O caso noticiado pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais não se enquadra na definição de caso suspeito da Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo em vista que o paciente esteve em Xangai, onde não há, até o momento, transmissão ativa do vírus”, continuou a nota.

Segundo o ministério, a OMS determinou que “só há transmissão ativa do vírus na província de Wuhan”, onde o surto teria começado. Também lembra que Xangai fica a cerca de 840 quilômetros de Wuhan, que, de fato, é uma cidade localizada na província de Hubei.

O Ministério da Saúde ainda informou que a pasta tem realizado monitoramento diário da situação junto à OMS, que acompanha o assunto desde as primeiras notificações de casos, em 31 de dezembro de 2019.

China tem 444 casos de coronavírus e 17 mortes

Nesta quarta-feira (22) subiu para 17 o número de mortos na China pelo surto de uma variante do coronavírus, segundo informou a televisão estatal do país. No último balanço, eram nove mortes. Já número de pessoas infectadas subiu para 444.

Turistas já carregaram o vírus para pelos menos quatro países. Na terça-feira (21), um homem foi diagnosticado com a doença em Washington, capital dos Estados Unidos. Há registro de casos na Coreia do Sul, na Tailândia e no Japão. Há também casos suspeitos nas Filipinas, na Austrália e no México. Na China, já foi confirmado o primeiro contágio em Hong Kong.

OMS (Organização nacional da Saúde) não descarta a possibilidade de que o vírus cause uma pandemia, e especialistas se reuniram para decidir se o surto será classificado como uma “emergência de saúde pública de interesse internacional”. O rótulo é dado a “eventos sérios de saúde pública que ameaçam a saúde pública internacional” e “potencialmente exigem uma resposta internacional coordenada”.

Governos de diversos países, que esperam receber milhares de chineses nos próximos dias por causa do feriado de Ano Novo Lunar, também já começaram a preparar seus aeroportos e aumentar sua fiscalização, procurando sintomas como febre e tosse.

Carregando