Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Casa de Apoio ao Homem do Campo é inaugurada em Barreirinhas

Iniciativa é inspirada no “Velho Galpão” que funcionou na década de 50.

A ideia é dar apoio aos pequenos produtores rurais (Foto: Divulgação)

Os mais de mil agricultores familiares que diariamente desembarcam nas primeiras cinco horas do dia na cidade de Barreirinhas, litoral leste do Maranhão, passarão a ter a partir desta sexta-feira (31) um lugar de apoio até o seu retorno à zona rural. A “Casa do Homem do Campo”, um projeto social da Rádio Lençóis FM, foi inaugurada às 7 horas, com um café da manhã e ao som de um grupo musical típico – e muito conhecido dos camponeses da região dos Lençóis Maranhenses: Conjunto Tripa de Bode, que existe desde a década de 80.

A ideia é dar apoio aos pequenos produtores rurais, que acordam cedo nas suas comunidades e se deslocam para a sede do município trazendo sua produção para comercializar, resolver questões de aposentadorias, receber benefícios do programa sociais de transferências de renda como Bolsa Família, resolver pendências bancárias, fazer compras no comércio, visitar parentes, etc. “É oferecer a eles um espaço digno com banheiros, bancos, onde ele possa fazer o café da manhã, e aguardar o transporte para retorno ao interior”, como explica Antonio Caldas, diretor da rádio.

REGIÕES AGRÍCOLAS –Diariamente, durante cinco dias na semana, Barreirinhas recebe em torno 1.200 agricultores familiares. Eles chegam em cerca 100 toyotas fretadas pela Secretaria Municipal de Agricultura, provenientes de 10 regiões agrícolas (10 rotas diferentes), uma prática de várias gestões.

Chegam partir das 5h30 e retorno no início da tarde. Os dias de pagamentos de aposentadorias são os mais movimentados. Eles descem sempre na Rua da Feira (Coronel Godin) e na Ria do Mercado Municipal. São eles abastecem o comércio e movimentam boa parte da economia do município.

VELHO GALPÃO – A Casa do Homem do Campo se espelha numa iniciativa parecida, que ocorreu na 2a. gestão do governo Léo Costa, entre 2012 e 2016, que por sua vez se inspirou no chamado “Velho Galpão” – na década de 50. “São duas casas, duas histórias, e a mesma substância”, explicam os idealizadores do projeto. O Velho Galpão, ficava ao lado do abrigo comércio do Zé Mário, no local onde hoje funciona o Farol da Educação. Foi abrigo de trabalhadores rurais e canoeiros que chegavam em barcaças chamadas “Botes”, cheias de produtos agrícolas da zona rural de Barreirinhas de Barreirinhas.

O galpão foi construído na década de 50, pelo prefeito José Reis, no tempo em que não havia transporte motorizado, no Bairro da Lagoa. “Minha casa e o comércio de meus pais ficavam bem ao lado e tive a sorte de viver aquele burburinho comercial e popular, passo a passo daquele saudoso tempo .Era humano, educativo e profundamente social que houvesse aquele espaço e aquele reconhecimento”, destaca o sociólogo Léo Costa.

A Rádio Lençóis FM diz que o objetivo é juntar as duas iniciativas “para que o homem e a mulher do campo tenha um espaço com dignidade na cidade”.

Carregando