Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pediatras alertam sobre risco da “Roleta Humana ou Quebra-Crânio”, atos violentos praticados por crianças e adolescentes

O alerta destaca ainda que o impacto da cabeça com o chão pode desencadear edemas, hematomas externos e fraturas ósseas.

SBP alerta sobre o grande risco na propagação de atos violentos entre crianças e adolescentes (Foto: Divulgação)

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), por meio do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente, divulgou nessa quinta-feira (20), um alerta sobre o grande risco na propagação de atos violentos entre crianças e adolescentes, divulgados pelos meios digitais e diretamente de um para o outro, intitulado de “Roleta Humana” ou “Quebra Crânio”.

No documento, os especialistas esclarecem, orientam e solicitam ações urgentes de pais, educadores, crianças e adolescentes bem como da população em geral para esse tipo de violência entre pares.

“Na apresentação dessa violência aos jovens, Roleta Humana, criou-se uma falsa ideia de brincadeira, para que outras crianças e adolescentes imprudentes, inconsequentes ou mesmo violentos coloquem em prática uma agressão perigosíssima que pode levar a sequelas graves e até mesmo à morte as suas vítimas”, diz trecho do alerta.

ADVERTÊNCIA – Os especialistas do DC de Segurança advertem que esse tipo de violência não pode ser aceito como uma brincadeira a fim de tentar minimizar a gravidade da agressão nele contida e encobrir a consequente responsabilidade civil e criminal de levar um outro a um dano psíquico e físico, utilizando-se da sua confiança e vínculo.

O que se tem chamado de “Roleta Humana”, ou, como o próprio nome identifica – “Quebra Crânio, Racha Crânio” – é um ato de violência muito grave, onde a vítima é imobilizada, não sabe o que vai acontecer com ela, e tem como objetivo uma queda para trás, sem proteção.

“A consequência inicial é o encontro violento do corpo ao chão, quando a cabeça e pescoço sofrerão o maior impacto, levando a um traumatismo cranioencefálico (TCE) em níveis progressivos de gravidade, e, à grande chance de traumatismo de vértebras, especialmente cervicais (do pescoço) e medula”, ressaltam os especialistas.

O alerta destaca que o impacto da cabeça com o chão pode desencadear edemas, hematomas externos, fraturas ósseas e sangramentos internos de pequena a grande intensidade, levando a lesões irreversíveis no cérebro (encéfalo).

CRIME – O documento da SBP salienta que esse ato de violência, que inclui o uso do laço de confiança com a vítima, uma premeditação, a intenção do dano e a possibilidade de causar lesões psíquicas e corporais imediatas e a médio e longo prazo, caracteriza crime de lesões corporais graves ou homicídio, caso seja seguido de morte. A SBP frisa que “se os agressores forem crianças e adolescentes, seus responsáveis também terão de responder na Justiça”.

Carregando