Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ibama afirma que não há vazamento identificado até o momento em navio encalhado no Maranhão

Manchas detectadas ao redor da embarcação são de óleo residual.

A embarcação Stellar Banner, operada pela empresa sul-coreana Polaris (Foto: Divulgação)

De acordo com o coordenador geral substituto de Emergências Ambientais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Marcelo Amorim, até o início da tarde de ontem (28), não houve vazamento no navio carregado de minério que está avariado na costa do Maranhão.

A embarcação Stellar Banner, operada pela empresa sul-coreana Polaris, está carregada com 294.871 toneladas de minério de ferro, 3,8 mil toneladas de óleo residual e 140 toneladas de destilado. O navio sofreu uma avaria na proa após deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, na noite de segunda-feira (24).

Segundo Marcelo Amorim, a Marinha juntamente com o Ibama tomaram a frente do caso como organizadores, cabendo à Vale – como contratante – apoio à empresa proprietária da embarcação, sobre as atividades que devem ser realizadas nos próximos dias.

Óleo ao redor de navio

Sobre as manchas de óleo detectadas ao redor da embarcação, o Ibama afirmou tratar-se de óleo residual, que pode estar saindo de qualquer parte do navio, como do próprio convés, durante a lavagem pela água do mar, pois há graxa em diversos compartimentos.

O Ibama reforçou que os tanques permanecem intactos e o local onde eles estão instalados é de casco duplo. A casa de máquinas está seca, funcionando normalmente.

“Vamos entrar no navio e mapear o dano”, disse o comandante da Capitania

O comandante da Capitania dos Portos do Maranhão, Alekson Batista da Silva, informou que um inquérito foi aberto logo após ter recebido a notícia do navio à deriva. O Comandante disse que a primeira preocupação da Marinha será entrar na embarcação encalhada e mapear qual é o dano. “A segunda preocupação é retirar o óleo presente no navio. E a terceira é fazer o plano de salvatagem para retirar a embarcação de lá”, informou Alekson Batista.

O comandante da Capitania dos Portos informou que o local é monitorado por aviões e navios da Marinha.

A matéria completa será publicada na edição deste sábado, 29, do Jornal Pequeno.

Carregando