Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia Federal deflagra operação contra servidores públicos que acobertavam exploração ilícita de madeira

A investigação teve por objetivo apurar a aprovação fraudulenta de Planos de Manejo Florestais

A Polícia Federal no Maranhão, por meio da Delegacia de Combate aos Crimes contra o Patrimônio – DELEMAPH, deflagrou nesta quarta-feira (11) a Operação “Canafístula”, com a finalidade de reprimir crimes praticados por servidores públicos lotados em órgão ambiental do Maranhão, juntamente a particulares e engenheiros florestais.

Agentes federais em ação durante a madrugada desta quarta-feira (Foto: Divulgação)

A investigação teve por objetivo apurar a aprovação fraudulenta de Planos de Manejo Florestais em empreendimentos rurais destinados a exploração de madeira. A prática visava acobertar a exploração ilícita de madeira em áreas de proteção federal, como terras indígenas e na Reserva Biológica Gurupi.

Foram cumpridos 20 Mandados de Busca e Apreensão, expedidos pela 8ª Vara Federal do Maranhão, com realização de 32 interrogatórios nas cidades de São Luís, São José de Ribamar, Buriticupu, Presidente Médici, Centro Novo, Chapadinha, Imperatriz, Balsas. A operação também se desdobrou até o estado do Pará, com ação em Belém e Paragominas, investigando pessoas envolvidas nesse esquema, além da apreensão de documentação e material ligados à prática delitiva, no intuito de embasar o aprofundamento da investigação.

Polícia Federal na casa de um dos alvos da operação (Foto: Divulgação)

De acordo com laudos periciais e análise técnica realizados em 15 planos de manejo de processos ambientais apreendidos na Secretaria Estadual do Meio Ambiente, foi possível observar dano ambiental de 148.258,90 m3 em toras de madeiras extraídas ilicitamente e que somente poderiam ser transportados em 4.235 caminhões. O prejuízo calculado apenas nesses projetos resulta no montante aproximado de trinta e três milhões de reais.

Os responsáveis foram indiciados pelos crimes falsificação de documento público, inserção de dados falsos em sistema de formação e associação criminosa.

Nome da Operação

“Canafístula” é uma espécie de árvore nativa da América do Sul, considerada uma árvore oportunista, que se beneficia de clareiras, sendo por este motivo muito utilizada em recuperação de áreas desmatadas.

Carregando