Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Marido de adolescente esquartejada e queimada diz que motivo do crime foram brigas por ciúmes

Acusado esganou a vítima, depois dividiu o corpo em várias partes e ateou fogo

Daniel Araújo confessou ter matado, esquartejado e queimado Kailane Nascimento, após briga por ciúmes (Foto: Divulgação)

O autor do brutal feminicídio da adolescente Kailane Nascimento de Araújo, de 17 anos, disse, em depoimento à Polícia Civil, que o crime teria sido motivado após uma briga por ciúmes. Daniel Araújo da Silva, 24, que esquartejou e queimou o corpo da própria companheira, foi preso na quarta-feira (18), na cidade de Miranda do Norte, quando tentava fugir.

O crime ocorreu no último sábado (14) em Itapecuru-Mirim, mas só foi descoberto quatro dias depois. Vizinhos do casal, que residia no bairro Torre, sentiram falta da vítima e resolveram acionar a polícia. Os policiais encontraram a casa abandonada, tendo localizado parte do que seria o corpo da vítima e até sinais de uma fogueira feita no quintal.

Segundo informações do delegado regional do município, Samuel Morita, o homem disse que durante uma briga, ele a empurrou e a vítima acabou batendo a cabeça na parede e desmaiado. Nesse momento, ele revelou ter esganado a companheira e, após constatar sua morte, a levou para os fundos da casa.

“Já no dia seguinte, ele queimou as partes dela. O corpo todo, e o que ficou foi só o tórax. As costelas e uma parte do crânio foram localizadas no povoado Covas”, explicou o delegado.

Após ser preso, o próprio suspeito levou a polícia ao povoado onde havia deixado os pedaços do corpo da vítima. Tudo já foi recolhido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para ser analisado e identificado. Daniel Araújo negou que tenha deixado restos mortais da adolescente na geladeira da casa. Inicialmente, a polícia desconfiou dessa possibilidade após ter encontrado vestígios de sangue no eletrodoméstico.

Ele foi autuado pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver. De acordo com o delegado Samuel Morita, Daniel também confessou um homicídio praticado no Suriname.

Carregando