Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Procon/MA monitora preços do gás de cozinha praticados no estado

O monitoramento é realizado com base nas informações fornecidas pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis

Procon/MA monitora preços do gás de cozinha (Foto: Paulo Leônidas)

O Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Estado do Maranhão (Procon/MA) realizou, nesta segunda-feira (13), ação preventiva de fiscalização para acompanhar os preços do gás de cozinha praticados por distribuidoras e revendedores na Grande Ilha.

O monitoramento, que envolve todo o estado, é realizado com base nas informações fornecidas pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Atualmente, o objetivo é verificar se houve aumento injustificado no gás liquefeito de petróleo (GLP).

“Nesse primeiro momento, estamos realizando uma ação preventiva e de orientação aos fornecedores para que não haja um aumento injustificado no gás de cozinha em decorrência da pandemia do novo coronavírus”, explicou a presidente do Procon/MA, Adaltina Queiroga.

Com equipes em campo, a fiscalização realizada na segunda-feira visitou alguns dos estabelecimentos que já são regularmente acompanhados pelo órgão.

“Estamos acompanhando a variação de preços via ANP e a partir deles conseguimos ter um panorama dos valores praticados no estado e identificar os casos em que há o aumento sem causa”, explicou Carlos Eduardo Garcia, diretor de Fiscalização do Procon/MA.

Preços

No último levantamento, realizado entre os dias 29 de março e 4 de abril, o preço médio do gás de cozinha no Maranhão encontrava-se no valor de R$ 71,74, abaixo da média nacional, que girava em torno de R$ 73,35.

Vale ressaltar que, dentre as capitais, São Luís manteve a média de R$ 69,99, enquanto o valor médio entre as demais foi de R$ 72,92.

“No Maranhão, os valores médios encontrados têm se apresentado estáveis, com pequenas oscilações, desde a declaração de estado de pandemia, realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, informou Garcia.

Ainda de acordo com o diretor, o consumidor também pode colaborar com o trabalho de fiscalização do órgão.

“As denúncias realizadas através das plataformas digitais do órgão são fundamentais para a elaboração das rotas de fiscalizações”, disse o diretor.

O consumidor que identificar aumentos abusivos ou irregularidades deve formalizar uma denúncia por meio do site www.procon.ma.gov.br ou pelo aplicativo do órgão PROCON MA, disponível para sistemas Android ou IOS.

Carregando