Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo inicia conferências para criar protocolos de segurança para retomada gradual das atividades econômicas

Para avaliar a situação, já foram realizadas reuniões com segmentos da educação, construção civil, entidades empresariais e representantes de sindicatos

Simplício Araújo realiza diálogos diante da crise sanitária causada pelo coronavírus e após o lockdown decretado no Maranhão (Foto: Divulgação)

Com a decretação do lockdown, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria da Casa Civil, Secretaria da Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), vem realizando uma série de conversas em função da crise sanitária causada pelo coronavírus. O objetivo é criar protocolos para uma possível retomada gradual das atividades econômicas, sempre tomando como base, as avaliações do comitê cientifico.

“Não faremos nada sem a total segurança”, sentenciaram os secretários Marcelo Tavares, Simplício Araújo e Francisco Gonçalves, titulares das respectivas pastas.

De acordo com o decreto 35.784, do Governo do Maranhão, a Casa Civil, a Seinc e a Sedihpop são responsáveis pelas conferências e conversas com a sociedade civil, entidades de classe e trabalhadora para chegarem a um denominador comum quanto aos protocolos de segurança sanitária visando à retomada gradual das atividades empresariais e comerciais, o que só será possível se houver um senso comum de responsabilidade, com total segurança.

“Autorizei os secretários Marcelo Tavares (Casa Civil), Simplício Araújo (Seinc) e Francisco Gonçalves (Sedihpop), nos termos dos decretos que editei, a realizarem consultas a segmentos empresariais, econômicos, sociais, sindicais, sobre as novas normas sanitárias que editaremos a partir do dia 20. Porém, com a volta progressiva das atividades comerciais e de serviços, com protocolos e sobretudo com normas sanitárias”, afirmou Flávio Dino.

Para avaliar a situação, já foram realizadas reuniões com segmentos da educação, construção civil, entidades empresariais e representantes de sindicatos. Em todas as videoconferências, foram debatidas as dificuldades decorrentes da paralisação das atividades econômicas, dificuldades de acesso a crédito nos bancos públicos, reestruturação de negócios, segurança sanitária para clientes, funcionários e comunidade no entorno de determinados negócios.

Uma das áreas mais complexas é a educacional, por envolver crianças e adolescentes. Essa retomada vai requerer conversas mais demoradas, previram os secretários, sempre deixando claro que nada será feito sem que o governo tenha total segurança.

As três secretarias aguardam, ainda, envio de sugestões de cada área com a formulação de protocolos, sempre em sintonia com o comitê cientifico do Governo do Estado. Os secretários explicaram que o governador Flávio Dino e toda a sua equipe estão engajados nos trabalhos para combater e prevenir o coronavírus, mas que é preciso pensar, também, nessas ações, Segundo ele, as discussões são em torno de normas sanitárias que possam garantir a segurança de funcionários e clientes.

“Neste momento o diálogo é mais importante do que nunca, pois não há ainda previsão para a volta das atividades. Por isso esses protocolos precisam ser construídos e respeitados por todos”, ressaltaram os auxiliares de Flávio Dino.

Boa parte dos segmentos já ouvidos destaca que a principal proposta é que a retomada das atividades seja de forma progressiva. O setor da educação, por exemplo, defende que a volta seja dos maiores para os menores, sendo do ensino superior, fundamental maior e depois o menor, o que será avaliado.

Carregando