Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Grileiros tentam ocupar residencial do programa “Minha Casa meu Maranhão” e danificam moradias

O movimento foi incentivado por grileiros profissionais, que usam pessoas carentes, inclusive mulheres e crianças

Invasores danificaram alguns imóveis (Foto: Reprodução)

Na manhã deste sábado, 23, houve uma tentativa de ocupação irregular do Residencial Jomar Moraes, no Sítio Piranhenga; o José Chagas, na Ilhinha, em São Luís, que está em fase final de conclusão. As obras foram iniciadas em 2017 e beneficiarão 1.104 famílias de baixa renda, já aprovadas pela Caixa Econômica Federal. Parte dos beneficiados foi removida das palafitas do PAC Rio Anil.

Segundo o secretário de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Rubens Pereira Jr, deputado federal licenciado, o movimento foi incentivado por grileiros profissionais, que usam pessoas carentes, inclusive mulheres e crianças. “Estive pessoalmente no local para tentar dialogar e negociar a saída, com apoio da Polícia Militar do Maranhão”.

Diversos apartamentos foram depredados, mas a obra possui seguro e todos os reparos serão feitos para que os reais beneficiários possam receber suas moradias em condições adequadas.

“A ação integrada da Secid com a secretaria de Segurança garantiu que os prédios fossem rapidamente desocupados. As obras finais continuarão e a nossa expectativa é que até julho as famílias já cadastradas e aprovadas recebam as unidades”, afirmou Rubens Jr em postagem nas redes sociais.

Construídas por meio do Programa Minha Casa Meu Maranhão, que tem recursos do Minha Casa Minha Vida com contrapartida do Governo do Estado, as obras são executadas pela Secretaria de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid).

Carregando