Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Idosa é estrangulada pelo vizinho no Recanto dos Signos, em São Luís

Suspeito fazia pequenos serviços para a vítima, e teria tido surto após uma briga com a irmã e o namorado dela, antes de cometer o crime

A idosa foi morta dentro de sua própria casa, no Recanto dos Signos, estrangulada com um pano de prato (Foto: Divulgação)

Uma idosa de 66 anos, identificada como Joana Maria Diniz, foi morta por estrangulamento, dentro da própria casa, localizada no bairro Recanto dos Signos, em São Luís. O principal suspeito do crime, segundo a Polícia Civil, é um jovem de 21 anos, vizinho da vítima.

O delegado Leonardo Carvalho, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que atendeu a ocorrência, na noite de terça-feira (26), por volta das 22h, relatou que o crime teria acontecido no período da manhã, mas o corpo somente foi descoberto após anoitecer.

Leonardo Carvalho contou que uma vizinha da idosa sentiu falta dela, ligou para um irmão da vítima, que foi até à casa, abriu o imóvel e encontrou o corpo de Joana Diniz em cima da cama. Ainda segundo o delegado, a casa da idosa estava bastante revirada, tendo sido localizados quatro celulares danificados e com os chips retirados.

“A senhora foi encontrada deitada na cama enforcada com um pano de prato. Há indícios de que tenha havido relação sexual”, disse. Conforme o delegado, após levantamentos no local, chegou-se até o vizinho, que teria usado uma escada para pular o muro e chegar à casa da vítima.

Antes do crime, ele havia brigado com a irmã e o namorado dela, e teria tido um surto, tendo ido ao encontro da idosa. O homem, que não teve o nome divulgado, fazia pequenos serviços para a vítima, que morava sozinha, como capinar o quintal e alguns consertos.

A polícia informou, também, que durante as buscas feitas na residência do suspeito foram localizados vários objetos de adoração e culto ao satanismo. No quarto dele, que era iluminado por uma luz vermelha, segundo o delegado Leonardo, existia a inscrição 666, além de uma cruz de cabeça para baixo e vários desenhos de demônios.

Até o momento, ele permanece foragido. O caso, a partir de agora, ainda de acordo com Leonardo Carvalho, será investigado pelo Departamento de Feminicídio da SHPP. O delegado explicou que o crime se enquadra como feminicídio, pelo fato de o suspeito ter se aproveitado da condição de a vítima ser mulher, idosa, e ter dificuldade em se defender

Carregando