Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

2º sargento da Polícia Militar reage à postagem do jornalista Marco D’eça em rede social

Em publicação no Twitter, o jornalista sugeriu que “para cada negro morto, 10 policiais devem morrer”

Foto: Reprodução

A 2º sargento da Polícia Militar do Maranhão, Ana Célia, pedagoga e psicopedagoga, reagiu a uma postagem do jornalista Marco D’eça, publicada em sua rede social após a morte de George Floyd, asfixiado por um policial americano durante abordagem na cidade de Minneapolis, nos EUA.

O caso ganhou ampla repercussão mundial, por ter sido encarado como crime de ódio provocado por racismo, e o jornalista Marco D’eça usou o Twiter para se expressar de uma forma que causou indignação da sargento Ana Célia, assim como toda a corporação.

“Para cada negro morto, 10 policiais devem morrer. Seja branco ou negro. Essa é a resposta. Enquanto não for assim, nada vai resolver. Não adianta blábláblá”, escreveu Marco D’eça em sua rede social, em post já deletado pelo jornalista.

Ana Célia encaminhou seu desabafo ao Jornal Pequeno, republicado abaixo na íntegra:

“Diante de uma manifestação insana, desequilibrada, sobre o pretexto de exibir de forma vingativa aos dignos de uma instituição de laboriosos policiais independente de cor, raça, credo e opção sexual, que incansavelmente lutam entre manter a segurança para que o caos NÃO se instale, (somos essa barreira), mesmo com as dificuldades existentes e com risco da própria vida; vem um mentecapito como você, Marcos Aurélio D’eça exalando seu veneno de ódio,  cuja característica, evidencia um despreparo emocional mesmo com todas as prerrogativas acadêmica e social que como indivíduo professa  ter, não corresponde com esse nível, infelizmente.

É lamentável ver um discurso pretencioso e criminoso mascarado de se fazer justiça a quem se auto denomina jornalista ou blogueiro. Seu veneno peçonhento mostra a sociedade maranhense brasileira a sua forma incapaz como você vem conduzindo seus seguidores nas redes sociais; sendo demonstradas de forma patente sua incapacidade de racionalidade de prudência e sensatez diante dos fatos expostos, diga-se passagem mais uma vez. Orientando  pseudos  formadores de “opiniões”, totalmente  desconexo também com nossa realidade atual, vendo por uma prisma extremamente  equivocada e superficial – só pra enfatizar mais vez você não nos representa, os verdadeiros cidadãos que trabalham entre os cíveis e militares como TODOS outros agentes de segurança inerentes ao contexto social.

Além de calúnia e difamação você (Marcos Aurélio d’Eca), cometeu outro crime de ameaça e injúria racial. Marcos Aurélio d’ Eça, blogueiro insano e tendencioso que se utiliza da liberdade de imprensa desvirtuando os fatos e invertendo a lógica social contribuindo com o seu desserviço à sociedade maranhense.

Vamos aguardar o desfecho judiciário quanto a esses fatos elencados em sua postagem. Sua distinção da realidade é exígua e criminosa só pra ratificar.

Ana Célia mulher, mãe, negra, pedagoga, psicopedagoga, mestranda em Educação e 2º Sargento da Polícia Militar do Maranhão, com muito orgulho.!!!”

Jornalista Marco D’eça se desculpa por “postagem infeliz” que causou indignação de PM

Foi um equívoco, motivado pela indignação emocional do momento. Tanto que foi retirado imediatamente após se perceber a loucura do texto.

E nada tem a ver com a questão maranhense, mas com os absurdos que ocorrem nos EUA.

Tanto foi um equívoco que basta ler a linha do tempo do meu perfil –  em todas as minhas redes sociais – para perceber a postura de respeito a todas as forças policias e de segurança.

Nada tenho contra a Polícia Militar, apesar de manter minha linha crítica às ações que considerar equivocadas.

Repito: foi uma tolice impensada, mas já retirada do feed da rede social.

Peço desculpas não apenas à PM, mas a toda a sociedade, pela manifestação impensada expressada no post, num momento de extrema infelicidade.

Carregando