Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Empresário preso na Operação Cobiça Fatal é solto

Os advogados alegaram não existir indícios suficientes de materialidade delitiva, e que sua prisão foi decretada com fundamentação genérica.

Empresários foram presos durante a Operação "Cobiça Fatal" (Foto: Divulgação/PF)

Nessa quarta-feira (10), o juiz federal Francisco Codevila concedeu habeas corpus ao empresário Alexandre Chuairy Cunha. Ele é uma das três pessoas presas durante a Operação Cobiça Fatal, desencadeada pela Polícia Federal, na terça-feira (9), nas cidades de São Luís e São José de Ribamar, para investigar suposto superfaturamento na compra de EPIs para uso no combate ao novo coronavírus.

Os advogados do empresário alegaram não existir indícios suficientes de materialidade delitiva, e que sua prisão foi decretada com fundamentação genérica.

A operação envolveu 60 policiais da Superintendência da PF no Maranhão, que cumpriram três mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão. Há ainda sequestro de bens e bloqueio de contas de pessoas investigadas, por parte da Justiça Federal (1ª Vara).

Investigações realizadas pela PF teriam constatado indícios de superfaturamento na aquisição de 320 mil máscaras pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), ao valor de R$ 9,90 cada uma. Segundo as apurações, o preço médio de uma máscara seria de R$ 3,17, o que levaria a um suposto superfaturamento de R$ 2,3 milhões, conforme a PF.

Carregando