Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Moradores reclamam de água suja saindo das torneiras e esgoto estourado em residencial no Gapara

A Caema informou que vem monitorando a situação e realiza intervenções na área

Moradores do Residencial Luís Bacelar, construído por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, no bairro do Gapara, região do Itaqui-Bacanga, em São Luís, reclamam da cor escura e do mau cheiro da água que está saindo das torneiras. Segundo eles, o problema acontece sempre no início da manhã.

Lene Pinheiro mora na Rua Luiza Bacelar, do Residencial Luís Bacelar. Na casa dela, a água distribuída pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) é utilizada no banho, na higienização das louças da cozinha, de roupas, e na limpeza do banheiro.

“Para beber e preparar as refeições utilizou água mineral”, informou Lene, que mantém um comércio numa sala da sua residência.

A comerciante contou que a água sai bastante escura das torneiras, quando elas são abertas pela primeira vez no dia. Lene e as moradoras Alessandra Matos e Sandra Loiola contaram que quanto mais água sai das torneiras, mais o líquido clareia, porém sempre na tonalidade amarela. “Além de suja, nossa água ‘fede’”, disse Sandra Loiola.

“Esta situação existe desde quando o condomínio foi inaugurado, há quatro anos”, informou Alessandra Matos. Ela disse que, neste ano, a Associação do Residencial Luís Bacelar pagou exames microbiológicos na água, e que os resultados teriam acusado a contaminação do líquido.

Alessandra também informou que, no dia 14 de fevereiro deste ano, houve uma reunião entre a Associação e a Caema, quando a questão levantada pelos moradores foi, entre outras, a melhoria da qualidade da água. As pessoas que residem no Residencial também reclamaram de um esgoto a céu aberto, situado próximo aos imóveis.

Moradores do Residencial Luís Bacelar reclamam de água suja e fedida que sai das torneiras, e de um esgoto estourado (Foto: Gilson Ferreira)

OUTRO LADO

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) informou que “vem monitorando a situação e realiza intervenções na área, como descarga da rede para limpeza para acompanhamento. São feitas, ainda, coletas periódicas para análise na qualidade da água que, segundo os últimos laudos, esta se encontra dentro dos padrões de consumo exigidos pelas normas dos órgãos de saúde”.

A Caema comunicou, ainda, que enviará equipe ao local para analisar o caso e buscaras possíveis soluções.

Carregando