Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo do Reino Unido considera proibição dos kits de telecomunicação da chinesa Huawei

As sanções à empresa de tecnologias Huawei continua a crescer no Reino Unido após deixar o reino da Grã-Bretanha

O governo do Reino Unido recebeu um relatório da Huawei que provavelmente mudará sua política sobre o papel da empresa chinesa nas redes de telecomunicações do país. O secretário Oliver Dowden disse que o Centro Nacional de Segurança Cibernética (CNSC) do GCHQ apresentou suas conclusões. Acredita-se que o CNSC tenha dito que não pode mais garantir a segurança dos produtos da Huawei por causa de novas sanções dos EUA.

De acordo com Dowden, o governo está examinando e considerando as implicações do problema. O Departamento Digital da Cultura, Mídia e Esporte ainda não apresentou suas conclusões ao primeiro-ministro, mas Boris Johnson disse na segunda-feira à tarde que não deseja que o país seja “vulnerável a um fornecedor estatal de alto risco”. Frente a isso, a gigante chinesa sinalizou que está aberta para discussões.

Após reportagens publicadas em jornais locais dizendo que o governo poderia proibir a compra de novos equipamentos Huawei 5G até o final do ano, um dos porta-vozes da empresa adotou uma postura mais rígida no final de semana. ”A política do Reino Unido está sendo ditada pelo [governo] Trump … os EUA não deveriam respeitar um Reino Unido pós-Brexit em posição de escolher sua própria estratégia de telecomunicações?” tuitou Paul Harrison, chefe de mídia internacional da Huawei.

Um vendedor de alto risco? 

O papel da Huawei no Reino Unido parecia ter sido resolvido em janeiro, quando o governo limitou sua participação de mercado em redes de banda larga de telefonia fixa móvel e de fibra, e excluiu seu envolvimento no “core” do 5G. A nova tecnologia permitirá navegações em altíssima velocidade, tornando possível o acesso a sites de alto consumo de dados – e aqui destacam-se os nichos de jogo de cassino em plataformas online, acesso a vídeos em ultra HD (4K) em plataformas de streaming, entre outros inúmeros serviços que demandam uma boa conexão.

Conexão 5G permitirá velocidades ainda maiores de internet móvel. (Imagem de Freepik, por Starline)

No entanto, os EUA anunciaram posteriormente novas sanções que proíbem a empresa chinesa e terceiros que fabricam seus chips de usar “tecnologia e software dos EUA para projetar e fabricar” seus produtos. O governo norte-americano afirma que a Huawei é apoiada pelas forças armadas chinesas e representa um risco de segurança nacional, o que a empresa nega em todas as circunstâncias.

Até onde irão as sanções à gigante chinesa? 

Ainda não está claro até que ponto o governo do Reino Unido irá com as suas proibições. O ex-líder conservador Sir Iain Duncan Smith, em entrevista, manifestou que “o governo agora deve agir e garantir que a Huawei ou qualquer outro fornecedor não confiável nunca esteja em nosso sistema de telecomunicações”.

Em teoria, o primeiro-ministro poderia decidir ir mais longe na decisão sobre a empresa chinesa, ordenando que o kit da Huawei fosse removido das redes 3G e 4G e até mesmo as dezenas de milhares de equipamentos de beira de estrada em que atualmente se encontra fornecendo conectividade de banda larga. No entanto, especialistas alertaram que o custo disso seria de “bilhões de libras” e causaria grandes atrasos na implantação da Internet de fibra no país.

Em suma… 

As sanções à empresa de tecnologias Huawei continua a crescer no Reino Unido após deixar o reino da Grã-Bretanha. Na mais nova decisão do governo, a participação da empresa na implantação de 5G será mínima. No entanto, o Primeiro Ministro ainda poderá optar por limitar ainda mais a influência da Huawei no país, visto pressões dos EUA que constantemente questionam a segurança da empresa.

Carregando