Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Obras no Centro de Hemodiálise de Pinheiro estão em fase final de acabamento interno

A estrutura funcionará ao lado do Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago

Estrutura está prevista para ser inaugurada no próximo mês (Foto: Divulgação)

As obras no Centro de Hemodiálise de Pinheiro estão em fase final no acabamento interno, e deve ser entregue nas próximas semanas, de acordo com o governo do Maranhão. A estrutura funcionará ao lado do Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, e ofertará, inicialmente, 40 cadeiras de terapia renal em três turnos de funcionamento.

“Nos últimos cinco anos, ampliamos a nossa capacidade de atendimento de 100 pacientes para mais de 1.200. Temos hoje uma estrutura de hemodiálise descentralizada e instalada em localidades estratégicas. Dessa forma, vamos beneficiar o máximo de pessoas possível, desde pacientes crônicos, até aqueles que necessitarem do procedimento em razão de cirurgia ou outro tipo de urgência”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Estrutura

Trabalharão no espaço cerca de 200 profissionais, entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, nefrologista, nutricionistas, bem como setores administrativo e serviços gerais. A estrutura de hemodiálise, antes existente no Hospital Dr. Jackson Lago, migrará para dentro do novo espaço, cabendo ao Hospital Regional da Baixada Maranhense realizar o primeiro atendimento, garantindo que nenhum paciente saia da região para realizar a diálise.

Segundo o diretor clínico do Hospital de Pinheiro, Kaio Aguiar Hortegal, o Centro de Hemodiálise melhorará a qualidade do atendimento dado aos pacientes. “Somente quem vive essa rotina sabe o quanto é cansativo o dia a dia e também vai entender o quanto a ampliação desse serviço na região deixará os pacientes satisfeitos. Com a unidade, não será mais necessário que os pacientes dialíticos tenham que fazer o percurso até São Luís”, afirmou.

Com o Centro de Hemodiálise de Pinheiro, o Governo do Estado informou que ultrapassa as 200 cadeiras de terapia renal substitutiva, instaladas em oito unidades gerenciadas pela SES. São elas: Biorim, em Bacabal; Casa de Saúde e Maternidade de Caxias; Clínica de Nefrologia de Açailândia; Hospital Regional de Chapadinha; Hospital Dr. Carlos Macieira, Hospital Geral da Vila Luizão e o Centro de Hemodiálise São Luís.

Carregando