Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pré-candidato a prefeito em Parnarama é preso em Timon suspeito de estelionato

A operação tinha como objetivo desarticular um grupo criminoso que comercializava cursos de mestrado e doutorados sem validade

Pré-candidato a prefeito foi preso em Timon (Foto: Divulgação)

Uma operação realizada pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Defraudações (DERFD), do Amazonas, com apoio da Polícia Civil do Maranhão, resultou na prisão de Jacobe Almeida Barbosa, que seria pré-candidato a prefeito da cidade de Parnarama.

Contra Jacobe Barbosa, que foi preso na manhã de ontem (6), na cidade de Timon, havia um mandado pelo crime de estelionato, expedido pela Central de Inquéritos de Manaus. A operação denominada “Mestrado” tinha como objetivo desarticular um grupo criminoso que comercializava cursos de mestrado e doutorados, sem validade, gerando prejuízos a dezenas de vítimas no Amazonas e em outros estados.

Segundo as investigações feitas pela DERFD, em 2014, o empresário Jacobe Almeida, juntamente com Katarina Souza Correa, que foi presa no Balneário Porto Fino em Pontal do Paraná, lançaram cursos como representantes do Instituto Qualifique e Consultoria (ICQ). Na ocasião, eles se uniram a uma terceira pessoa, identificada como Márcio Fabrício Silva, que está foragido, para comercializar os supostos cursos de mestrado.

Conforme a polícia, as vítimas pagavam quantias que totalizavam R$ 24.450 pelo falso curso. Somente no final, os alunos descobriam que eles fizeram, no máximo, cursos de especializações ou sem valor acadêmico algum, de acordo com nota técnica do Ministério da Educação (MEC).

Além disso, várias irregularidades foram notadas durante a investigação. Entre elas, fornecimento de material com indicação errônea aos alunos e informações contraditórias por parte das instituições investigadas, não localização dos investigados, o que levou a Polícia Civil amazonense a crer que os organizadores de tais curso obtiveram para si vantagem ilícita, em prejuízo das pessoas que frequentavam as aulas.

Ainda conforme a DERFD, há informações de que os empresários Jacobe Almeida Barbosa e Katarina Souza Correa mantiveram outras instituições com o mesmo propósito em outros estados, fato que é investigado pelas respectivas polícias civis dessas unidades federativas.

PRISÕES

Os mandados de prisão expedidos, três ao todo, em desfavor de Jacobe Almeida Barbosa, Katarina Souza Correa e Márcio Fabrício da Silva foram solicitados pela DERFD e a ação policial contou com o apoio da Polícia Civil do Maranhão, por meio do Grupo de Pronto Emprego (GPE) da 18ª Delegacia Regional de Polícia Civil e 1º DP de Timon, sendo eles os responsáveis pela localização, prisão e oitiva de Jacobe Almeida.

A Polícia Civil do Paraná, por meio da Delegacia de Estelionatos de Curitiba, foi responsável pela localização, prisão e oitiva de Katarina Correa, fato ocorrido por volta das 7h30, no Balneário Porto Fino em Pontal do Paraná.

O alvo da DERFD em Manaus, Márcio Fabrício da Silva, representante do grupo criminoso no Amazonas, não foi localizado em seus possíveis endereços e passou a ser considerado foragido, podendo ser preso a qualquer momento em cumprimento a determinação expedida pelo magistrado da Central de Inquéritos do Amazonas.

Carregando