Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Brasil apresenta experiências de produção para especialistas do G20

A experiência desenvolvida pela Embrapa com o uso de espécies adaptadas, a exemplo da palma forrageira (Opuntia fícus-indica e Nopalea cochenillifera), como estratégia para garantir maior eficiência de uso de água em regiões semiáridas, chamou a atenção de pesquisadores estrangeiros e pode se tornar referência principalmente em países como a Arábia Saudita. A adoção da […]

A experiência desenvolvida pela Embrapa com o uso de espécies adaptadas, a exemplo da palma forrageira (Opuntia fícus-indica e Nopalea cochenillifera), como estratégia para garantir maior eficiência de uso de água em regiões semiáridas, chamou a atenção de pesquisadores estrangeiros e pode se tornar referência principalmente em países como a Arábia Saudita. A adoção da espécie e a integração de cultivos têm sido consideradas ferramentas importantes para a capacidade de adaptação dos sistemas de produção. Além disso, diante do cenário de mudanças climáticas, a palma também já revela potencial para regiões, onde já está prevista a redução de precipitação para os próximos anos.

A apresentação da tecnologia da pesquisa brasileira foi feita durante o International Virtual Experts Meeting on Promoting Sustainable Agriculture Development in Drylands, realizado dia 10 de agosto, como parte da programação do Meetings of Agricultural Chief Scientists of G20 States (MACS-G20). Vinícius Guimarães, coordenador do Labex Europa, que lidera a participação do Brasil no evento, e Diana Signor, pesquisadora da Embrapa Semiárido, presidente do portfólio Convivência com a Seca no Semiárido, representaram o País no encontro virtual, que contou com a participação de especialistas de vários países. A Arábia Saudita foi a responsável pela organização do evento.

 

“O foco dos projetos desenvolvidos com o objetivo de aumentar a resistência e a resiliência dos sistemas de produção no Semiárido brasileiro está no fortalecimento dos sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta”, explicou a pesquisadora da Embrapa Diana Signor, ressaltando a importância da palma como fonte energética, além de reserva hídrica, para os rebanhos. Segundo ela, a produtividade média da palma forrageira nessa região, onde se concentra a maior parte da  produção brasileira, é de cerca de 25 t/ha (Censo agropecuário 2017, IBGE).

 

MACS G20 é o encontro dos responsáveis pela área de Ciência e Tecnologia dos países membros e que antecede a reunião de ministros da Agricultura no G20. Durante o encontro, ocorrido em Al Khobar, na Arábia Saudita, em fevereiro passado, foram programadas duas reuniões virtuais para o segundo semestre deste ano, em função das limitações decorrentes da pandemia. A primeira delas em Riyadh-Arábia Saudita, no último dia 10, e a próxima, será no dia 31 de agosto, e o Brasil será representado pelo Coordenador do Labex-Europa e gestores do portfólio de Alimentos, segurança, nutrição e saúde.

Kátia Marsicano (MTb DF 3645)
Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas

Photo: Fernanda Birolo

Carregando