Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Greve fecha 50 agências dos Correios no interior do Maranhão

Nessa quinta-feira, foi realizada na capital do estado uma carreata promovida pelos funcionários da estatal

Sem acordo, greve dos Correios será decidida na Justiça (Foto: Gilson Ferreira)

Cerca de 50 agências do interior do Maranhão estão em greve por tempo indeterminado, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Correios e Telégrafos (SintectMA). A paralisação ocorre em todo o Brasil. Em São Luís, foi realizada ontem (20) uma carreata, com saída da sede do Sindicato, no bairro do Radional, passando pela Liberdade, Camboa, Centro, e finalizando na Praça Maria Aragão, localizada na Avenida Beira-Mar.

“Estamos com uma adesão muito boa, temos 50 agências fechadas nas cidades maranhenses interioranas. Na capital do Estado, funcionários tanto da área operacional quanto da administrativa (como carteiros e atendentes) aderiram ao movimento, aconteceu uma reduzida significativa no quadro de trabalhadores das agências, desta cidade”, informou o secretário-geral do Sintect-MA, Márcio Martins.

A mobilização acontece em um cenário de alta demanda pelos serviços de entrega, em decorrência das restrições de circulação impostas pela pandemia de coronavírus. Com o aumento das compras por e-commerce, o fluxo da estatal aumentou até junho em comparação com igual período do ano passado.

A paralisação foi deliberada em assembleias organizadas por sindicatos na segunda-feira (17), e não tem prazo para acabar. O Sintect acusa os Correios de retirar direitos dos funcionários e de negligência em relação à Covid-19, além de ser contrário à privatização da empresa.

“Os Correios já tiveram lucros de 30% neste ano, e mesmo assim, de forma absurda, querem reduzir os nossos salários em 20%”, destacou Márcio.

ACORDO COLETIVO

Segundo a Fentect (federação nacional que reúne entidades da categoria), o acordo coletivo celebrado com a categoria em 2019 era válido até 2021. Mas, os Correios conseguiram uma liminar que reduziu a validade do documento para apenas por um ano, limitado a 2020.

A Fentect informa que a empresa propôs a exclusão de 70 das 79 cláusulas do acordo aprovado no ano passado, retirando benefícios. Entre os direitos suprimidos estão o fim da licença-maternidade de 180 dias e a extinção de adicional de risco de 30%, além de diminuição do vale-alimentação.

De acordo com a estatal, as medidas são necessárias para garantir sua sustentabilidade financeira, representando um corte de R$ 600 milhões nas despesas anuais.

Correios reforça entregas e garante serviço postal à população

Os Correios informam que permanecem firmes nas estratégias para continuar servindo à população. Neste fim de semana, com objetivo de minimizar os impactos da paralisação parcial dos empregados, a empresa realizará mutirões de entregas em todo o território nacional.

Conforme o plano de contingência da empresa, medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, o remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas para garantir o fluxo postal. A expectativa é realizar a entrega de um volume 4 vezes maior de encomendas, nos fins de semanas.

A malha de transporte intermunicipal e interestadual da empresa continua operando com 100% da capacidade, realizando conexões diárias de todas as bases operacionais no país. Os mutirões e outras iniciativas são possíveis devidos aos esforços da grande maioria do efetivo, que está comprometido em atender aos brasileiros nesse momento em que mais precisam.

Levantamento parcial, realizado na manhã desta quintafeira (20), mostra que mais de 80% dos 99 mil empregados prosseguem trabalhando regularmente.

AGÊNCIAS

A rede de atendimento está aberta em todo o país, com a oferta de serviços e produtos, inclusive o Sedex e o PAC, que continuam sendo postados e entregues. Serviços como a consulta Limpa Nome Serasa, Achados e Perdidos e, agora mais recentemente, a consulta para o Auxílio Emergencial, estão disponíveis à população.

Por motivo de decretos municipais ou estaduais, ou devido aos protocolos preventivos adotados pelos Correios – como sanitização de ambientes e afastamento de empregados com suspeita de contaminação por Covid-19 -, algumas unidades de atendimento poderão sofrer alterações em seu funcionamento.

A empresa informa ainda que permanecem temporariamente suspensos os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje), medida em vigor desde o anúncio da pandemia.

Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelos telefones 3003- 0100 e 0800 725 0100 ou pelo endereço http://www.correios.com.br/fale-com-oscorreios .

NEGOCIAÇÃO

Conforme amplamente divulgado, a diminuição de despesas prevista com as medidas de contenção sugeridas na proposta da empresa é da ordem de R$ 600 milhões anuais. As reivindicações da Fentect, por sua vez, custariam aos cofres dos Correios quase R$ 1 bilhão no mesmo período – dez vezes o lucro obtido em 2019. Trata-se de uma proposta impossível de ser atendida.

Com respaldo da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), bem como das diretrizes do Ministério da Economia, a proposta dos Correios não retira nenhum direito dos empregados. Apenas promove adequações aos benefícios que extrapolavam a CLT e outras legislações, de modo a alinhar a estatal ao que é praticado no mercado. Os vencimentos de todos os empregados também seguem resguardados.

Vale ressaltar que os trabalhadores continuam tendo acesso ao benefício Auxílio-creche e aos tíquetes refeição e alimentação, em quantidades adequadas aos dias úteis no mês, de acordo com a jornada de cada trabalhador. Estão mantidos ainda – aos empregados das áreas de Distribuição/Coleta, Tratamento e Atendimento -, os respectivos adicionais.

Carregando