Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Algodão do Maranhão deve sair pelo Porto do Itaqui

Uma comitiva do Governo do Maranhão visitou o sul do estado, na última semana, para conhecer o modelo de produção industrial de algodão da região e fomentar o escoamento do produto pelo Porto do Itaqui. Participaram da visita técnica, o secretário de Estado da Agricultura, Sérgio Delmiro; o presidente do Porto do Itaqui, Ted Lago; […]

Uma comitiva do Governo do Maranhão visitou o sul do estado, na última semana, para conhecer o modelo de produção industrial de algodão da região e fomentar o escoamento do produto pelo Porto do Itaqui. Participaram da visita técnica, o secretário de Estado da Agricultura, Sérgio Delmiro; o presidente do Porto do Itaqui, Ted Lago; o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MA, Raimundo Coelho; o presidente da FAPCEN, Paulo Kreling, dentre outras autoridades. Eles estiveram na Serra do Penitente e na Fazenda Parnaíba, onde foram recebidos por membros da Associação Maranhense de Produtores de Algodão – Amapa.

“Durante a visita abordamos temas importantes para fortalecer esse diálogo entre produtores e o poder público. Também acompanhamos a colheita do algodão e visitamos a algodoeira da empresa Fazenda Parnaíba na Serra do Penitente, Região de Balsas. O produto maranhense é de qualidade excepcional e admirado em várias partes do mundo. Discutimos, então, a possibilidade de escoar a cultura do algodão pelo Porto do Itaqui, por exemplo. Atualmente, a produção é escoada pelo Porto de Santos.”, enfatizou o Secretário da SAGRIMA, Sérgio Delmiro.

“A região produtora de soja é também uma fronteira muito estratégica na cultura do algodão. Conhecemos a Fazenda Parnaíba, cujo trabalho é integrado à indústria. O modelo abrange plantio, colheita e todo o processamento do produto, hoje exportado pelos portos da região Sudeste. Estamos estudando conjuntamente as condições necessárias para que o algodão maranhense seja escoado pelo Porto do Itaqui, assim como já ocorre com os grãos”, disse Ted Lago.

A produção industrial do algodão na região de Balsas gera cerca de 500 postos de trabalho diretos, chegando a mais de 1.200 no pico da safra. “Nosso trabalho, por determinação do governador Flávio Dino, é nos manter próximos e em permanente diálogo com essa zona produtora, de modo a fortalecer ainda mais tão importante atividade econômica geradora de emprego e renda em nosso estado”, afirmou Lago.

Durante a visita, o presidente do Porto do Itaqui apresentou aos produtores investimentos privados na segunda fase do Tegram e também investimentos feitos pelo Governo do Estado, por meio da Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP, de modo a ampliar e modernizar a infraestrutura do Itaqui para atender a expansão da fronteira agrícola do sul do estado.

Esses esforços do porto público maranhense integram o Plano Emergencial de Empregos do Governo do Estado, um intenso programa que vai investir R$ 558 milhões de agosto a dezembro deste ano em obras públicas, compras governamentais, ofertas de serviços e fomento setorial, dinamizando a economia e incentivando a geração de postos de trabalho.

 

Carregando