Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ônibus deixam de circular em São Luís após assassinato de motorista na Cohama

Polícia prendeu ainda na noite desse sábado dois suspeitos de participação no crime

Motoristas realizaram paralização neste domingo (Foto: Reprodução)

Após o assassinato do motorista de ônibus Francisco Teixeira, ocorrido na noite deste sábado, 19, na Cohama, rodoviários do sistema de transporte da capital decidiram suspender os trabalhos.

Os ônibus não estão circulando neste domingo, em protesto pela morte do motorista e reivindicações por melhores condições de segurança.

A maioria dos ônibus chegou a deixar as garagens, mas ficaram parados no centro da capital, se concentrando na região do Ceprama, na Madre Deus e Avenida Cajazeiras.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Marcelo Brito, a paralisação se estenderá até uma posição concretas das autoridades sobre as condições de segurança no transporte público de São Luís.

Dois duspeitos presos

A Polícia Militar do Maranhão prendeu, ainda na noite desse sábado (19), dois suspeitos de terem cometido o crime de latrocínio contra um motorista de ônibus da linha Bequimão/Ipase. O assassinato aconteceu durante a realização de um assalto a um coletivo, quando elementos efetuaram disparos de arma de fogo contra o condutor do coletivo, que morreu no local.

Diante do crime, todas as viaturas da capital foram acionadas via CIOPS, que repassou as características dos suspeitos. Policiais da equipe Albatroz do 8º BPM receberam também a informação que um dos suspeitos estaria na Rua 25 de Maio, no bairro do Recanto dos Vinhas. Quando chegaram ao local, os policiais encontraram um individuo em atitude suspeita com manchas de sangue pelo corpo. O suspeito não soube explicar a procedência das manchas e foi levado à delegacia de homicídios.

Na delegacia, o indivíduo foi reconhecido pelas testemunhas, e acabou confessando a autoria do crime, além de ter apontado o endereço do comparsa, que foi preso em seguida por policiais militares do 20º BPM.

O crime aconteceu, segundo depoimento do assaltante, “devido o motorista não ter parado e aberto a porta do ônibus após os criminosos terem roubado objetos dos passageiros”. Ainda segundo os suspeitos, a arma do crime foi tomada dele por membros de uma facção.

Os dois elementos foram apresentados na Delegacia de Homicídios, que conduzirá as investigações.

Carregando