Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia procura por suspeito de matar a esposa em Santa Luzia

Crime teria acontecido na noite de sábado (26), após o casal sair de uma festa, supostamente,

Ireny Pereira foi morta pelo marido, Adailson Fialho, que está sendo procurado pela polícia (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil de Santa Luzia segue à procura de Adailson Fialho, conhecido como “José Alhão”. Ele é apontado como principal suspeito da morte da própria esposa, Ireny Pereira, de 22 anos, que teve o corpo encontrado na terça-feira (29), dentro de um igarapé, localizado em um povoado na zona rural do município.

Segundo o delegado da cidade, Allan de Carvalho, já foi representado à Justiça pela prisão preventiva do suspeito, que foi o último a ser visto com a vítima, após ter levado ela de uma festa no sábado à noite (26).

“Ele e a deixou em um churrasco com a família e amigos à tarde e, ao retornar, já alterado, não teria se agradado de alguma coisa lá e saiu a puxando pelo braço”, explicou o delegado ressaltando que, desde então, nenhum parente, vizinho ou amigo havia tido notícias dela até o achado do corpo.

O corpo de Ireny, que já estava em estado avançado de decomposição, foi enviado ao Instituto Médico Legal (IML) de São Luís, onde passará por exames que determinarão com certeza a causa da morte. O prazo para a conclusão do resultado é de dez dias.

FEMINICÍDIO EM CAROLINA

Um homem foi preso suspeito pela morte de Irene Guimarães da Silva, de 44 anos, na cidade de Carolina, ocorrida na segunda-feira (28). Identificado como José Carlos Santos, ele era proprietário da casa na qual a vítima morava e, também, dividia o imóvel com ela e o marido, segundo a polícia.

No dia do crime, conforme informações do delegado Henrique Tanaka, titular da delegacia da cidade, ele já havia tentado agir contra outra mulher em um bar, mas foi expulso do local e seguiu para a residência onde estava Irene. “Nós encontramos José na rua, em visível estado de embriaguez. O que nos chamou atenção foi que no corpo dele havia vários ferimentos. Escoriações nos joelhos, ferimentos nas mãos, na cabeça e no pescoço. Os do pescoço eram semelhantes aqueles provocados por unhas, que chamamos de lesões de defesa, feitas pela vítima no agressor”, explicou Tanaka.

Ainda de acordo com o delegado, a vítima foi encontrada no quarto da residência, ajoelhada, com a cabeça escorada dentro de um guarda-roupa e sem a parte de baixo das roupas íntimas. O local estava bastante bagunçado, o que leva a crer que a mulher lutou para não morrer.

“Preliminarmente, não foi possível constatar qual foi a causa da morte. Não havia sinais de asfixia, apenas duas escoriações em cada joelho e que estava praticamente em carne viva. Tinha também um inchaço no lábio da vítima, dando a entender que ela teria tomado um soco ou algum outro golpe contundente”, pontuou.

O corpo de Irene foi enviado ao Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, onde será determinado o motivo da morte e se houve estupro. José Carlos Santos foi autuado pelo crime de feminicídio e, em seguida, encaminhado à unidade prisional, onde ficará á disposição do Poder Judiciário.

Carregando