Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Moradora de São Luís recebe pacote de sementes misteriosas

Alerta fitossanitário já havia sido emitido pelos órgãos de defesa agropecuários no mês passado.

Moradora do São Francisco recebeu pacote de sementes (Foto: Divulgação)

Após o alerta fitossanitário dado pelos órgãos de defesa agropecuários no mês passado, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) teve registrada, nesta terça-feira (6), a notificação de uma moradora do bairro do São Francisco, em São Luís, que recebeu um pacote de sementes misteriosas em seu endereço, sem haver feito nenhuma compra ou solicitação.

Ela tomou as medidas necessárias, encaminhando o pacote de sementes sem violar, para o setor responsável da AGED pela Defesa e Inspeção Vegetal. “Essa é a primeira ocorrência que recebemos, e queremos fazer um alerta a todos do Maranhão que, ao receberem um pacote como este, contendo sementes, não despreze, não jogue fora e entregue em uma de nossas Unidades Regionais ou entre em contato pelos telefones em nosso site para que possamos fazer o recolhimento destas sementes”, frisou Antonia Lucia Malheiros, diretora de Defesa e Inspeção Vegetal da AGED.

A orientação, em caso de recebimento de pacote de sementes desconhecidas, é de levar imediatamente à Superintendência Federal de Agricultura do Maranhão (SFA/MA) ou à AGED mais próxima para que possam tomar as providências necessárias. Caso o cidadão não tenha um escritório da AGED em seu município, ele pode ligar para o setor da Ouvidoria da AGED (98) 99132-0441 ou SFA-MA/MAPA (98) 3131-3407.

A AGED recomenda que a embalagem não seja violada, não seja descartada em cursos d’água ou junto ao lixo comum. Orienta-se ainda não plantar ou semear muda ou semente recebidos de origem desconhecida, mesmo que a embalagem descreva que o conteúdo é de uma semente de fruta popular.

Essas medidas visam proteger o patrimônio fitossanitário brasileiro e maranhense. A importação de vegetais sem autorização pode facilitar a entrada de pragas ou doenças que não existem ou estão erradicadas no país, além de causar prejuízos econômicos.

Casos pelo Brasil

O Ministério da Agricultura informou nessa terça-feira (6) que identificou fungos, ácaros e bactérias nas análises prévias que realizou nas sementes “misteriosas” que têm chegado ao Brasil via postal de países asiáticos, principalmente da China, sem que os destinatários tenham pedido. Segundo a pasta, o risco para a agricultura e para a saúde ainda é desconhecido, e os estudos estão em andamento. O órgão já recolheu 258 pacotes das sementes em 24 estados e no Distrito Federal. Somente Amazonas e Maranhão não relataram casos ainda.

Desses pacotes, 39 amostras estão em análise. Uma delas apresentou ácaro vivo, e outras duas continham bactérias. Já três espécies de fungos foram encontradas em 25 amostras.

Além disso, 17 amostras foram sequenciadas geneticamente, sendo que quatro delas têm a possibilidade de ser de “plantas quarentenárias”, espécies não naturais do Brasil, que podem ser prejudiciais ao meio ambiente e à agricultura

De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, José Guilherme Leal, para saber qual o nível de alerta ainda é necessário finalizar as análises. A pasta pede a quem receba as sementes que evite contato físico com o material e avise o ministério, para que o recolhimento do material seja feito de forma segura.

— Preferimos ser rigorosos agora e pedir a colaboração da população. É uma medida preventiva, depois vamos verificar se medidas adicionais serão necessárias — disse o secretário.

Carregando