Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Convênio do Detran com a Uninassau garante assistência gratuita a vítimas de acidentes de trânsito

Os serviços de atendimento psicológico já estão disponíveis, e os de reabilitação fisioterápica devem começar a ser oferecidos em novembro.

Detran e UNINASSAU assinam convênio (Foto: Divulgação)

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) e a Faculdade Uninassau de São Luís assinaram, ontem (26), um Convênio de Cooperação Institucional, que prevê assistência gratuita, nas áreas de psicologia e fisioterapia, a pessoas que sofreram acidentes de trânsito.

Por meio da página da Educação para o Trânsito do Detran-MA, as vítimas de acidentes de trânsito poderão solicitar o apoio e se cadastrar para obter atendimento na Clínica-Escola da Uninassau, para acesso a tratamento psicológico ou de reabilitação física, sem quaisquer custos. A assinatura aconteceu na sede do Detran-MA.

Além da diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, e do diretor da Faculdade, Caio Vieira, estavam presentes a coordenadora do curso de psicologia da Uninassau, professora Ana Luiza Cordeiro, o professor do curso de Gestão, Lucas Borba e a coordenadora de Educação para o Trânsito do Detran-MA, Rositânia de Farias.

Os serviços de atendimento psicológico já estão disponíveis, e serão realizados por uma equipe de alunos dos últimos períodos do curso de psicologia, com acompanhamento e supervisão direta dos professores da Uninassau. Já os serviços de reabilitação fisioterápica devem começar a ser oferecidos em novembro.

Para a diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, a iniciativa vai beneficiar as vítimas de acidentes de trânsito no Estado. “Trabalhamos com afinco para evitar que acidentes ocorram, mas, diante de sua ocorrência, estamos assistindo ao acidentado, dando-lhe oportunidade maior de recuperação, em áreas cujo acesso, tradicionalmente, se faz mais difícil. Esse projeto vem para ajudar em sua recuperação, com serviço de assistência gratuita e de qualidade nas áreas psicológica e fisioterápica”, explicou.

Carregando