Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Com retomada de cirurgias eletivas, Hemomar reforça ações de incentivo à doação de sangue

Objetivo nos próximos dias, também, é nivelar o estoque de sangue para 2021, por conta da chegada das festas de fim de ano.

Evento que estimula doações começou nesta segunda (Foto: Laécio Fontenele)

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde (SES), deu início nesta segunda-feira (23) à Semana Nacional do Doador de Sangue. Este ano, a campanha tem como tema “Doador, seu braço estendido abraça a vida!”, e acontece até o dia 28. A semana foi planejada com o objetivo de valorizar os doadores e incentivar novas doações.

O Hemomar é gerenciado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). O diretor administrativo da EMSERH, Will Mesquita, explica que o objetivo nos próximos dias é nivelar o estoque de sangue para o início do ano, por conta da chegada das festas de fim de ano e a retomada de cirurgias eletivas na rede pública do Maranhão.

“Essa semana é de agradecimento às pessoas que doam sangue o ano inteiro, esse ato de solidariedade que salva vidas. Com a pandemia do coronavírus, nosso estoque caiu, foi um ano atípico e tivemos dificuldades. Graças às campanhas de incentivo, o engajamento de instituições e igrejas, estamos passando por esse momento. Então, esta semana o nosso objetivo é destacar a importância da doação de sangue, sensibilizar novos doadores e homenagear os que já doam sangue na unidade”, explicou a diretora geral do Hemomar, Clícia Galvão.

No dia 25 de novembro, próxima quarta-feira, é celebrado o Dia Nacional do Doador de Sangue. Em alusão à data, ao longo de toda a semana serão realizadas ações no Hemomar como palestras educativas sobre o assunto, apresentações musicais, dia da beleza e lanches.

Durante a abertura da semana, houve um momento solene com a direção da unidade. Eles agradeceram o ato de solidariedade dos doadores e houve o corte do bolo em homenagem a eles.

O servidor público Gabriel Dias Marques, de 26 anos, é um doador frequente. Ele reforça importância e simplicidade do ato. “Doar sangue é um ato de humanidade, é salvar a vida de alguém. Não custa nada. Em menos de meia hora, eu já fui atendido. As pessoas deviam vir mais”, relatou Gabriel.

Dados

No Brasil, menos de 2% da população doa sangue com regularidade segundo dados do Ministério da Saúde, quando o ideal seria pelo menos de 3% a 5% da população brasileira. Pessoas com anemia falciforme, por exemplo, precisam receber transfusões periodicamente.

Pacientes acometidos de Covid-19 em longas internações também precisam quando desenvolvem quadro de anemia. Muitas outras condições também levam a esta necessidade, como urgências e emergências (acidentes de carro, AVC, ataques cardíacos).

Os critérios para doação continuam os mesmos, isto é, ter idade entre 16 e 69 anos (se menor de 18 anos precisa estar acompanhado de um responsável); pesar mais de 50 kg; não ter ingerido álcool nas últimas 24 horas e estar em boas condições de saúde. Vale lembrar que quem teve a Covid-19 pode doar sangue após 30 dias do desaparecimento dos sintomas.

Carregando