Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Em 2020, Polícia Civil apreendeu 1,3 tonelada de drogas no Maranhão

O trabalho dos cães farejadores Viny e Baruk auxiliou nas ações de buscas durante as operações realizadas pelo departamento.

Em quase todas as apreensões, o resultado contou com a colaboração dos cães farejadores que atuam na Senarc: Viny e Baruk (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), apreendeu 1,3 tonelada de drogas no Maranhão em 2020. O número é quase 40% menor que o ano de 2019, quando foram aprendidas pouco mais de duas toneladas de entorpecentes, principalmente do tipo maconha, crack, cocaína e pasta base.

Em entrevista ao Jornal Pequeno, o delegado Augusto Barros, chefe da diretoria da capital da Senarc, explicou que o ano foi bastante atípico devido à pandemia do coronavírus, fato que refletiu bastante na redução nos números de apreensões com relação ao ano passado.

“O afastamento de muitos servidores do departamento por um tempo, além de termos cedidos alguns para plantões e delegacias, diminuiu o ritmo do trabalho. O próprio tráfico em si deu uma diminuída também, pelo que constatamos por meio do nosso serviço de inteligência que seguiu atuando nesse período”, pontuou Augusto Barros.

A grande concentração de drogas apreendidas, segundo o delegado, continua ocorrendo nas rotas de tráfico no interior do estado, quando os suspeitos usam carros, vans e ônibus para transporte dos entorpecentes. Dados da Senarc apontam que os números de apreensões superam os 80% em trechos fora da região metropolitana de São Luís, mesmo a Grande Ilha sendo a área em que mais são deflagradas operações de combate ao tráfico.

No mês de abril desse ano, por exemplo, nas cidades de Santa Inês e Santa Luzia, 100 quilos de maconha foram localizados pelos policiais, após denúncias recebidas por meio do aplicativo Whatsapp da Senarc. Na ocasião, o suspeito estava em um veículo, modelo Civic, da cor branca, placa NSU-2456, dentro de uma oficina mecânica, situada na BR-222, na cidade de Santa Luzia. No carro, foram encontrados quatro sacos de Nylon, com 25 peças da droga em cada um.

Um volume ainda maior da mesma droga também foi apreendido na região da cidade de Vitória do Mearim, entre os povoados São Felix e São Benedito, dois meses depois. Em poder de três homens, uma barreira policial, encontrou 123 kg de maconha, cinco veículos e três armas de fogo.

De acordo com Barros, a maconha foi a droga mais apreendida durante as operações da Senarc, assim como em 2019. Da 1,3 tonelada, 1,2 foi da droga. Em seguida aparecem o crack, cocaína e, ainda, a pasta base de cocaína. 136 pessoas foram presas por tráfico de drogas em 2020, número também inferior ao do ano passado, que chegou a 334 prisões.

AUXÍLIO DOS CÃES FAREJADORES

O delegado Augusto Barros destacou, ainda, o trabalho dos cães farejadores Viny e Baruk, que auxiliam nas ações de buscas durante as operações realizadas pelo departamento.

Em outubro, na cidade de Miranda do Norte, Barros relembra que Baruk conseguiu localizar, na carroceria de uma caminhonete, quatro sacos de nylon contendo tabletes de maconha prensada.

“Eles mudaram todo nosso aproveitamento e nosso tempo de resposta. São treinados para fazer a detecção de drogas em ambientes mais difíceis, até embaixo d’água um deles já achou. Ações dentro do sistema penitenciário também já foram feitas pelos cães”, frisou.

A última apreensão feita com ajuda dos cães farejadores ocorreu na última sexta-feira (18), quando cinco quilos de cocaína e dois de crack foram achados, também por Baruk, em um compartimento falso de um carro, no bairro da Estiva, em São Luís.

Carregando