Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia desarticula grupo especializado no comércio ilegal de cabos de energia em Pinheiro

Sete pessoas foram presas durante a operação, incluindo cinco funcionários da Equatorial Energia.

Caminhão com cabos furtados foi apreendido em Pinheiro (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Maranhão realizou a prisão em flagrante de sete indivíduos pela prática dos crimes de receptação, porte ilegal de arma de fogo, furto qualificado pelo concurso de pessoas e abuso de confiança. Dentre os autuados, cinco são funcionários da empresa Equatorial Energia. O grupo era especializado no comércio ilegal de cabos de energia, na cidade de Pinheiro.

Durante a operação, foram apreendidos: aproximadamente uma tonelada de cabos de energia de alumínio, um revólver calibre .38 com cinco munições intactas e R$ 7.284,35 em espécie, provenientes da prática criminosa. A ação policial foi realizada por intermédio da 5ª Delegacia Regional de Pinheiro, com auxílio operacional da Polícia Militar.

De acordo com a polícia, um caminhão da empresa Equatorial estaria circulando na zona rural de Pinheiro, juntamente a outro veículo (VW VOYAGE) que fazia a escolta.

Em posse dessa informação, a equipe de investigação deslocou-se até à região, onde localizou os veículos nas proximidades do povoado Outeiro do Finca. Ospoliciais flagraram os funcionários da empresa descarregando os cabos de energia do caminhão. No veículo Voyage, a equipe policial, encontrou cabos enrolados já prontos para a venda, e localizou um revólver calibre .38.

De acordo com a polícia, os autores confirmaram que os cabos eram de propriedade da empresa Equatorial e que estariam vendendo irregularmente a R$ 5,00 o quilo.

Após as providências legais cabíveis, os autores foram encaminhados para a UPR de Pinheiro onde permanecerão à disposição da justiça.

A Equatorial Energia Maranhão encaminhou nota ao Jornal Pequeno sobre o ocorrido:

A Equatorial repudia qualquer ato criminoso e parabeniza a polícia por sua atuação. A empresa vai apurar os fatos internamente e cooperar com a polícia no que for preciso para que casos como esse não mais se repitam.

Carregando