Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

“Apagão” provocou fechamento de lojas e pane no sistema de bancos na região central de São Luís

O motivo da falta de eletricidade foi a queda do cabo isolante durante os serviços realizados pela Transmissão Maranhão I.

Entre as 8h25 da manhã até o início da tarde dessa sexta-feira (8), a população de São Luís sofreu com a precariedade no fornecimento de energia elétrica. O apagão gerou transtornos no comércio da Rua Grande, nos serviços bancários, e equipes de agentes de trânsito tiveram que se deslocar para os semáforos da capital maranhense, dando assistência aos motoristas e pedestres, enquanto os aparelhos permanecessem sem funcionamento.

“Apagão” provocou fechamento de lojas e pane no sistema de bancos na região central de São Luís (Foto: Gilson Ferreira)

O que causou o apagão foi o desligamento total das subestações São Luís I e São Luís III, causado pela queda do cabo isolante durante os serviços realizados pela Transmissão Maranhão I para possibilitar a travessia da nova linha de transmissão de 500 kV entre as subestações São Luís II para a São Luís IV, novo empreendimento da Transmissão Maranhão I.

Por meio de nota disparada à imprensa, o Sindicato dos Urbanitários do Maranhão (Stiu/MA) disse que o cabo que caiu era operado pela empresa privada EDP, de Portugal. De forma imediata, a equipe de linha da Eletronorte teria estado toda a manhã de ontem em campo, isolando as linhas da Eletronorte e aguardando a retirada do cabo pela Transmissão Maranhão I para retornar com as linhas de transmissão de sua propriedade. A energia foi restabelecida nas primeiras horas do período da tarde.

TRANSTORNOS

A queda de energia afetou os lojistas da Rua Grande. “Fechei a minha loja. Agora aguardo a energia voltar”, disse o empresário Marcelo Mota. “Eu sou vendedor ambulante, vendo controles remotos, e preciso realizar na frente do cliente o teste do equipamento ligando-o a uma tomada, por isso é necessária a eletricidade para os meus negócios. Estou sem vender, mas aguardando a volta da energia”, contou Geovane Batista Almeida.

A falta de energia impactou, consequentemente, os serviços de caixas eletrônicos e máquinas de cartão, que precisam de carregamento elétrico. Estes equipamentos pararam de funcionar, o que faz com que as pessoas não conseguissem fazer compras ou realizar transações bancárias.

Bombas de postos de gasolina também pararam de funcionar sem energia. Só ficaram operantes os postos que têm gerador próprio. Há informações também que em condomínios comerciais e residenciais, elevadores não funcionaram, e que em algumas repartições públicas, shopping centers, agências bancárias e hospitais geradores foram acionados.

SEMÁFAROS

Os semáforos ficaram apagados, porém, devido a agilidade dos agentes de trânsitos, subordinados à Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), como foi apurado pelo Jornal Pequeno, não houve caos, nesse sentido, conforme relatado nas redes sociais.

Agentes da SMTT foram deslocados para as principais avenidas da capital, a fim de garantir a fluidez no trânsito (Foto: Gilson Ferreira)

Na Avenida Beira-Mar e nos bairros São Francisco e Renascença, por exemplo, estes profissionais utilizaram cones na sinalização, e assistiram motoristas e pedestres.

De acordo com a SMTT, a Secretaria mobilizou 80 agentes distribuídos em 30 viaturas e mais 20 motocicletas, a fim de organizar e disciplinar o trânsito, orientando motoristas e pedestres, para minimizar os problemas nas principais avenidas e cruzamentos da capital.

Carregando