Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Inspetor da PRF afirma que ‘excesso de passageiro’ foi a principal causa de acidentes nas BR-135 e BR-222

Em uma semana, foram registradas quatro colisões graves, com 12 óbitos no total.

Em uma semana, 12 pessoas morreram em quatro acidentes de trânsito, ocorridos na BR-135 e BR-222. A primeira situação foi registrada na segunda-feira (4), no Km 55 da BR-135, entre Bacabeira e Santa Rita. Um caminhão colidiu de frente com uma minivan. Chovia muito no local, e os dois veículos ocupavam a mesma pista. Uma pessoa morreu.

Na quinta-feira (7), em São Mateus do Maranhão (BR-135), mais um acidente, desta vez, com seis mortos. No sábado (9), em Açailândia (BR-222), dois acidentes, total de cinco óbitos.

Tanto no caso de São Mateus do Maranhão, quanto em uma das ocorrências de Açailândia, segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal do Maranhão (PRF) Antônio Noberto, o excesso de passageiros contribuiu para os resultados das tragédias.

No acidente registrado em São Mateus do Maranhão, o carro de passeio modelo Prisma 1.4MT LT, de cor branca, com placa de Teresina (PI), transportava sete pessoas, sendo que sua capacidade era de até cinco. O veículo perdeu o controle por conta de estouro de um pneu traseiro do veículo. O Prisma começou a “dançar” na pista e colidiu na frente de uma carreta vermelha de placa do Goiás.

Acidente na BR-135 envolvendo Prisma e carreta provocou a morte de seis pessoas (Foto: Divulgação)

A colisão ocorreu no km 196,5 da BR-135, entre São Mateus do Maranhão e o povoado Caxuxa, a poucos quilômetros do entroncamento com a BR-316. O impacto da batida deixou seis mortos, e uma criança de nove anos, natural de Teresina (PI), sobreviveu. Dos seis óbitos, três perderam a vida no local, e três morreram no hospital ou a caminho do atendimento. As sete vítimas ocupavam o Prisma, sendo três crianças. Entre os mortos, uma mulher e seus dois filhos.

De acordo com Antônio Noberto, a sobrevivente, apesar de ter entrado no hospital em estado grave, foi operada e não corre risco de morrer. O motorista, identificado como José Raimundo da Costa Brito, de 41 anos, teve lesão cerebral traumática e foi internado em estado gravíssimo. Ele morreu no hospital. José Raimundo era natural de Nova Iorque, no Maranhão.

As outras pessoas que morreram foram identificadas: Luan Alves Silva, de 16 anos, natural de Teresina/PI; Yani Beatriz Rodrigues Sousa, 9, natural de São Mateus do Maranhão; Marilândia Silva Bezerra, 34, natural de Coroatá/MA; Maria da Conceição Rodrigues Filha, 29, natural de São Mateus do Maranhão; Arthur Levi Rodrigues da Silva, 4, natural de Teresina/PI.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o Prisma envolvido no acidente, com seis mortes e uma criança ferida, tem histórico de multas com abordagem por ocupantes sem cinto e lotação excedente. Porém, a PRF informou que as multas não surtiram efeito neste caso, pois as infrações se repetiram e a negligência do condutor pode ter contribuído para altíssima letalidade do acidente.

DOIS ACIDENTES NA BR-222

Na BR-222, em Açailândia, dois acidentes, em um mesmo dia, o sábado (9). O primeiro foi por volta 14h15, no km 672 da BR-222, no perímetro urbano de Açailândia. Uma colisão envolvendo um Fiat Siena prata e uma carreta Volvo FH de cor branca deixou duas mulheres gravemente feridas e presas nas ferragens. Elas foram retiradas por uma equipe de Bombeiros e levada por populares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Açailândia, localizada bem em frente onde aconteceu a colisão.

A motorista do Fiat Siena sofreu ferimentos na cabeça e fratura nas pernas. Ela morreu. Já a passageira sobreviveu, e, segundo Noberto, não corre risco de morte.

O depoimento de profissionais que participaram da ocorrência e de alguns populares davam conta que as duas ocupantes estariam vindo de um banho e que poderiam ter ingerido bebida alcoólica. Os levantamentos da equipe PRF apontam que a condutora pode ter dormido ao volante, e isto levou o veículo para a contramão na direção à carreta, que seguia no sentido contrário.

Cerca de 24 quilômetros do primeiro acidente, e duas horas depois, a segunda ocorrência foi registrada no km 648. Uma picape Renault/Duster Oroch, de cor verde, capotou e provocou a morte de quatro pessoas, deixando mais duas ocupantes feridas. “Mais uma vez, houve excesso de passageiros”, frisou Noberto.

Veículo Duster Orochi ficou completamente destruído após o acidente (Foto: Divulgação)

O capotamento aconteceu por volta das 16h20, próximo à localidade Reta, na BR-222. Após capotar, o veículo parou sobre a pista, relativamente próximo a uma curva. Os ocupantes da picape se dirigiam de Santa Luzia (do Tide) para Governador Edison Lobão.

Próximo ao povoado Reta, uma carreta teria entrado um pouco na contramão e colidido lateralmente na picape Oroch, que perdeu o controle e capotou. O condutor era um policial militar, identificado somente como “Alcântara”. Outras três pessoas também morreram no acidente.

O policial militar, de 35 anos, era natural de Vitorino Freire. Ele ingressou na Polícia Militar no dia 23 de dezembro de 2015. Também morreram uma senhora de 42 anos, natural de Santa Luzia (do Tide); uma jovem de 12 anos, natural de Imperatriz; e outra passageira (sem idade e sem naturalidade identificada). Duas pessoas sobreviveram, uma de 11 anos e outra de 35, ambas do sexo feminino.

Carregando