Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Envolvidos em roubos de objetos postais dos Correios em Imperatriz são denunciados pelo MPF

Aparelhos de telefones celulares eram principais alvos da organização criminosa.

Aparelhos de telefones celulares eram principais alvos da organização criminosa (Foto: Divulgação)

O Ministério Público Federal (MPF) no Maranhão, por meio da Procuradoria da República no Município de Imperatriz (PRM/ITZ), denunciou uma organização criminosa que efetuava roubos de objetos postais transportados por caminhões de empresas prestadoras de serviços aos Correios, em rota que liga a capital e a cidade de Imperatriz, entre 2019 e 2020.

Em investigação complexa, por meio da operação “Postagem Noturna”, com interceptações telefônicas e afastamento de sigilo telemático autorizados em fase preliminar, foi apurado que o grupo, composto por ao menos 13 pessoas, atuava em roubos com violência, graves ameaças e utilizando armas de fogo, nas proximidades de povoados que integram os municípios de Açailândia, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu e Imperatriz.

De acordo com a denúncia, cinco ações criminosas ocorreram nos dias 29/11, 25/12/ 2019 e 08/04, 01/06, 18/06/2020, e os principais alvos eram telefones celulares novos, além de diversas cargas pessoais, que foram dadas como perdidas pelos Correios. Para evitar que o sistema de rastreamento em tempo real da transportadora verificasse a saída de rota dos caminhões e emitissem alerta, os assaltos ocorriam em locais próximos à rodovia principal.

Além dos eventos citados na denúncia, crimes relacionados também estão sendo investigados. Assim, o MPF/MA requer, na Justiça Federal, a citação e, em seguida, condenação dos acusados pela prática dos fatos detalhados em inquérito policial.

O CASO

Policia Federal, por meio da Delegacia de Polícia Federal em Imperatriz/MA, deflagrou, no dia 20 de agosto de 2020, a Operação “Postagem Noturna” que teve como alvo uma organização criminosa voltada para a prática reiterada de roubo de carga postal transportadas em caminhões da Empresa de Correios e Telégrafos – ECT. A quadrilha agia nas cidades de Imperatriz, Açailândia e São Luís.

Cerca de 70 policiais federais das Superintendências Regionais do Maranhão, Piauí, Tocantins e Pará deram cumprimento a 13 Mandados de Prisão Temporária e 13 Mandados de Busca e Apreensão, tendo as ordens judiciais sido expedidas pela 1a Vara Federal Cível e Criminal da SSJ de Imperatriz-MA.

As investigações foram iniciadas após trabalhos de inteligência que identificaram a atuação de grupo criminoso na Região Tocantina. Policias observaram que a organização criminosa contava com o apoio de diversos comparsas, divididos, informalmente, em grupos de executores diretos dos roubos e indivíduos responsáveis por prestar apoio logístico ao bando com o fornecimento de armas de fogo e veículos automotores a serem utilizados nas ações.

O modus operandi dos criminosos consistia basicamente em abordar motoristas dos caminhões dos Correios rendendo-os dentro da cabine dos veículos durante todo o tempo do crime, a fim de dificultar o reconhecimento dos participantes da ação.

Dezenas de assaltos aos caminhões dos Correios investigados por meio desta operação ocorreram entre dezembro de 2019 a junho de 2020, em sua maioria, no período noturno, em estradas vicinais localizadas nas proximidades das rodovias federais BR 010 e BR 222, no trecho localizado entre os municípios de Santa Inês e Imperatriz, bem como em povoados nas proximidades de Açailândia, trajeto onde o fluxo de veículos é bastante reduzido.

Com as medidas judiciais cumpridas, a Polícia Federal espera identificar outros indivíduos que tenham participação nos crimes
apurados, assim como recuperar objetos roubados nas ações criminosas.

Os investigados poderão responder pelos crimes de organização criminosa, roubo circunstanciado, além de outros crimes conexos.

A Operação foi denominada Postagem Noturna em referência à ação dos criminosos quando da prática dos roubos de cargas dos Correios, em que os envolvidos abordavam as vítimas (motoristas dos Correios) nas rodovias federais para em seguida subtraírem as mercadorias postais, sendo que os objetos eram partilhados entre os comparsas e entregues aos demais beneficiários do esquema ainda na madrugada dos crimes.

Carregando