Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Estudante do IEMA ganha bolsa para cursar Belas Artes nos Estados Unidos

Arthur acaba de concluir o Ensino Médio/Técnico em Manutenção e Suporte em Informática.

Arthur Abraão de Sousa Almeida acabou de concluir o Ensino Médio Técnico em Manutenção e Suporte em Informática, na unidade plena do Iema de Cururupu (Foto: Divulgação)

“Como estudante oriundo do IEMA – Unidade Plena de Cururupu, estou muito feliz de receber a notícia de que fui aceito para cursar o meu Ensino Superior no exterior, isto no mesmo dia da minha formatura. Palavras são poucas para expressar quão grato estou por todos que me ajudaram e hão de ajudar na realização de um sonho, que não é só meu, mas, de toda uma Baixada Litoral Norte Ocidental do Maranhão”. Esse é um trecho do texto de uma postagem feita pelo estudante Arthur Abraão de Sousa Almeida, em sua rede social, minutos após receber a notícia de que recebeu uma bolsa parcial no valor no valor de US$ 6 mil (seis mil dólares) para cursar a Faculdade de Belas Artes, curso de Animação, na SCAD – The Savannah College of Art & Design, no Campus Atlanta, na Georgia – Estados Unidos.

Arthur é estudante egresso do Iema – Cururupu, que acaba de concluir o Ensino Médio/Técnico em Manutenção e Suporte em Informática. O e-mail encaminhado pela SCAD, informando que ele havia sido aceito na universidade e que ganhara uma bolsa de estudos parcial, chegou no mesmo dia em que ele colava grau de conclusão do Ensino Médio.

“Primeiramente, eu estava a procurar as universidades que oferecessem o grau de Bacharel em Belas Artes, curso de Animação. Então, eu encontrei a universidade SCAD, que oferece uma ótima educação na área. Então decidi me candidatar. Muitas pessoas escolhem se candidatar pra diversas universidades ao mesmo tempo, mas como o processo era complicado, eu tentei nessa, somente. O processo tinha uma taxa de US$ 60, e o meu orientador de lá conseguiu me isentar dessa taxa. Eu tive que preparar meus históricos e alguns outros documentos e enviei. Então, recebi a carta de aceitação. Uma observação é que a aceitação na universidade não corresponde a uma bolsa. Mas no ato da aceitação, eu também recebi uma bolsa de 6 mil dólares por ano”, explicou Arthur.

A bolsa corresponde a cerca de 11% do valor dos custos com o curso e estadia no campus universitário da SCAD, em Atlanta, que ficam em torno de US$ 55.500 por ano. Agora, Arthur está em busca de outras bolsas e patrocínios para completar o valor que ele precisa para realizar o sonho.

“Estou procurando mais bolsas e formas de financiar meus estudos. Existem diferentes formas de cobrir esse valor, e, por isso, estou correndo atrás de bolsas complementares, vaquinhas e contribuições, patrocínio e também vou vender alguns de meus trabalhos. Porque posso não ter nunca mais outra oportunidade dessa na minha vida. Já mandei uma carta e um currículo acadêmico para isto faltando apenas meu portfólio, que é um documento contendo os melhores trabalhos artísticos meus. Essa semana terei uma videoconferência com os supervisores da universidade, e iremos discutir melhor sobre custos e bolsas”, continuou Arthur.

Para ser aceito na universidade, Arthur precisou atender a alguns critérios estabelecidos, como a Média Ponderada (GPA) do Ensino Médio, ou seja, com o mínimo de 80% de aproveitamento; boa participação na comunidade escolar; desenvolvimento científico, entre outros. Arthur participou do programa de intercâmbio “IEMA no Mundo”, que aconteceu de janeiro a junho de 2019, o que foi outro fator que pesou muito.

“O IEMA no Mundo foi uma base muito forte, um alicerce para mim nesse momento. Atualmente, sou fluente em inglês, desde o 4º mês do intercâmbio. Além disso, conheci pessoas lá que querem me ajudar e querem que eu volte. Outra base para que esteja vivendo esse momento foi a própria escola, que foi extremamente importante, pois pelo IEMA eu pude construir um projeto de vida firme e ainda tive a oportunidade de fazer o intercâmbio para os EUA, que facilitou muito a criação desse caminho, ou, ‘pista de pouso’ para um futuro retorno”, disse Arthur que continuou: “Esse curso é muito importante para a indústria do entretenimento e move bilhões de dólares na economia internacional todos anos, a exemplo de empresas como Disney, Pixar, Dreamworks, CartoonNetwork, Nickelodeon, etc. Eu quero muito aproveitar essa oportunidade de cursar o Bacharelado em Belas Artes – Animação”, concluiu o estudante cheio de esperança.

Carregando