Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão reforça medidas preventivas após aumento de casos da Covid-19

Governador afirmou que festejos de São João só serão realizados com ampla vacinação no estado.

Flávio Dino destacou que a ocupação de leitos está abaixo dos índices de outros estados (Foto: Handson Chagas)

Escassez de vacinas, falta de oxigênio, aumento dos casos de Covid-19 no mundo e união de esforços para combater o avanço da doença. Estes foram alguns fatores citados pelo governador Flávio Dino, em coletiva nesta sexta-feira, para anunciar medidas preventivas adotadas pelo Governo do Maranhão.

Em apresentação à imprensa, o governador destacou o cenário internacional e nacional da pandemia, ambos com números crescentes. “Temos adotado medidas que, em 2020, se revelaram exitosas, sendo estas medidas assistenciais da rede de saúde e preventivas”, citou o governador Flávio Dino. Na ocasião, mostrou notícias de jornais de renome no mundo, mostrando o cenário negativo da pandemia, com o crescente de casos.

Flávio Dino enumerou medidas da gestão a serem executadas em 2021, para enfrentamento da doença. Entre estas, criação de novos leitos de UTI, de novas unidades hospitalares; medidas preventivas como a suspensão das festas de carnaval (na consulta às prefeituras, 88% afirmaram que não fariam eventos), reforço das fiscalizações para uso da máscara e diálogo com os segmentos econômicos.

Sobre o São João, o governador afirmou que somente no mês de maio poderá ter uma noção exata sobre a realização dos festejos: “Tudo vai depender de uma ampla vacinação da vacinação. Se isso e outras providências acontecerem, é claro que o governo com muita alegria, fará as festas juninas. No ritmo atual, não nos parece provável. Exatamente porque a vacinação caminha no Brasil a ritmo muito lento ainda”, ressaltou o governador.

Citando a importância da vacina contra o novo coronavírus, o governador Flávio Dino enfatiza que “estamos cuidando daquilo que pode ser o principal vetor de superação deste quadro”. Até o momento, o Estado recebeu 233 mil doses de vacinas. “Mantemos a decisão de o Governo comprar vacinas, mas ainda não há ofertas”, informa.

A logística da gestão estadual para distribuição das vacinas e garantia da imunização dos maranhenses inclui o recebimento, armazenagem, transporte, aquisição de insumos como seringas e agulhas. Às prefeituras municipais cabem aplicar, organizar e sistematizar a campanha de imunização.

Carregando