Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia Civil recupera carga, interdita bares e prende suspeitos no Maranhão

O trabalho foi promovido em conjunto com a Polícia Militar das localidades

Operações da Polícia Civil resultaram em prisões de homicidas, recuperação de carga e interdição de bares. (Foto: Divulgação)

A capital e cidades do interior maranhense foram alvo de operações da Polícia Civil, com foco no combate ao tráfico de drogas, roubo a carga e promoção irregular de eventos. As ações, realizadas na última semana, tiveram como resultado a prisão de 17 pessoas, entre estes, suspeitos de homicídio, o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão, apreensão de drogas e recuperação de carga roubada. O trabalho foi promovido em conjunto com a Polícia Militar das localidades.

As operações culminaram ainda na apreensão de 425 trouxas de drogas diversas, recuperação de carga de 640 sacos de cimento e notificação de cerca de 30 estabelecimentos comerciais. Nos locais eram promovidos eventos de forma irregular e desrespeitando os protocolos de combate ao coronavírus. O trabalho foi realizado na Região Metropolitana de São Luís (Raposa, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e São Luís), Presidente Juscelino, Lago da Pedra e Alto Alegre do Maranhão.

Três suspeitos de homicídios detidos na ações, sendo um por feminicídio no bairro Coroadinho, cujo corpo da vítima foi encontrado pela polícia no Batatã; outro por roubo seguido de morte, ocorrido no Residencial Pinheiro, bairro Cohama; e uma prisão temporária, no bairro Vila Luizão, de suspeito de homicídio com uso de faca. O crime foi motivado por uma discussão com luta corporal e o ferimento fatal.

Ação conjunta da Polícia Civil e Militar noticiou pelo menos 30 bares pelo descumprimento de medidas sanitárias da pandemia e poluição sonora, no município de Presidente Juscelino. Na ocasião, donos de bares que preparava festas foram orientados a desmontar estruturas de som. Nenhum dos locais possuía licença para a realização de eventos. A fiscalização aconteceu na sede e nos povoados Raiz, Santa Isabel, Riachão, Boa Vista dos Pinhos, Taboca, Prata, Boa hora, Sumaúma e Mirinzal.

Na Região Metropolitana de São Luís, equipes da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) prenderam em flagrante, no bairro Cohab Anil IV, casal de idosos por suspeita de agiotagem, ameaça e posse irregular de arma de fogo e munições. Em São José de Ribamar, foram presos também em flagrante três suspeitos com drogas embaladas para comercialização e outro homem suspeito por ameaça, dano, injuria e violação de domicílio, agravados na Lei Maria da Penha. A vítima era a irmã do suspeito.

Operações da Polícia Civil resultaram em prisões de homicidas, recuperação de carga e interdição de bares. (Foto: Divulgação)

Nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos pela Delegacia do Consumidor contra estabelecimentos comerciais em bairros da Região Metropolitana de São Luís. Na ocasião, a polícia apreendeu grande quantidade de calçados, bolsas e carteiras falsificadas. Os responsáveis devem responder por crimes contra a relação de consumo, contra marca e contra o sistema financeiro. Em Alto Alegre do Maranhão, a polícia recuperou 640 sacos de cimentos roubados em janeiro. O suspeito, que é reincidente no crime, foi autuado em flagrante por receptação qualificada.

Também foi detido por crime de furto qualificado um suspeito no bairro João Paulo. Sobre ele pesam ainda acusações de furto em estabelecimentos comerciais do bairro. Outras três pessoas foram presas por tráfico de drogas. O ponto de venda do grupo era a Praia do Araçagy. Com eles, a polícia apreendeu 220 trouxas de maconha, 133 de crack, 22 de cocaína, além de diversas porções avulsas, balanças de precisão e papel filme.

Três pessoas da mesma família, entre eles, uma idosa de 54 anos, foram detidos por receptação de veículo roubado e tráfico de drogas, na cidade de Lago da Pedra. Uma moto Honda Bros, vermelha, ano 2004, roubada em Bacabal, foi recuperada pela polícia. Na residência do suspeito, outras motos foram encontradas, além de 120 pedras de crack e mais de R$ 1,2 mil. Segundo as investigações, a idosa comandava o tráfico, sendo um das mais antigas e maiores traficantes da cidade.

Carregando