Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ações de combate ao Aedes aegypti são intensificadas no Maranhão

Até o momento, não há casos confirmados de dengue, Zika vírus, Chikungunya ou febre amarela em todo Maranhão.

Governo intensifica ações de combate ao Aedes aegypti no Maranhão (Foto: Divulgação)

Ações de combate ao Aedes aegypti estão sendo intensificadas em todo o Maranhão, de acordo com o governo do Estado, especialmente nas áreas que apresentam alto índice de infestação ou de casos da doença. Entre os serviços, que estão sendo executados pelas equipes da Secretaria de Estado da Saúde (SES), está a nebulização em diversas regiões. Em regionais de saúde, agentes de endemia participam de treinamento para a continuidade do trabalho nos municípios.

Até o momento, não há casos confirmados de dengue, Zika vírus, Chikungunya ou febre amarela em todo Maranhão, conforme informou o governo. Em 2020, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) registrou 34 casos confirmados de dengue, três de Chikungunya e seis de Zika vírus. A redução do número de casos em relação ao mesmo período do ano anterior é de 2,85%, 80% e 25%, respectivamente.

Ações de enfrentamento estão ocorrendo desde o início do ano. Nas últimas semanas, as ações ocorreram em municípios que compõem as Regionais de Saúde de Presidente Dutra, Itapecuru e Timon, informou a gestão estadual.

“Esse serviço é baseado no resultado do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), que sempre monitoramos. Priorizamos os municípios com o maior índice de infestação e, no caso do município que não fez o levantamento de índice, estamos considerando a notificação de casos. Nossa avaliação é permanente e, a partir do cenário, vamos direcionando os trabalhos”, afirma a coordenadora do Programa Estadual do Controle das Arboviroses, Graça Lírio.

O monitoramento é feito a partir do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) e do Levantamento de Índice Amostral (LIA), para municípios com número de imóveis inferior a 2 mil. Os índices têm servido para nortear as estratégias de controle do vetor, como uso de carros UBV (fumacê), bombas costais e visitas domiciliares.

Para que o trabalho com os carros UBV (fumacê) seja efetivo, a população deve colaborar com alguns cuidados, como deixar a casa aberta, retirar os animais domésticos, cobrir os alimentos e utensílios domésticos, retirar as roupas de cama, entre outros. Além disso, a população deve permanecer atenta às medidas de prevenção. Os cuidados incluem não deixar acumular água em garrafas, pneus, entre outros.

Treinamento

Para a continuidade do trabalho de combate ao Aedes aegypti nos municípios, regionais de saúde estão promovendo novas capacitações. Na Regional de Saúde de Rosário, os novos agentes de endemias, coordenadores e supervisores estão passando por treinamentos introdutórios. De acordo com a gestora da Regional de Saúde de Rosário, Laydiany dos Santos Frazão, o treinamento foi necessário, pois 67% dos doze municípios que compõem a regional tiveram mudanças na gestão.

“O objetivo do treinamento é orientar os técnicos dos municípios sobre as suas atividades, ações e programas a serem desenvolvidos em campo”, destaca a gestora. Entre os temas abordados durante o treinamento estão os conceitos de controle vetorial e Vigilância Epidemiológica; a coleta de lâminas para malária; o Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) supervisão; o Índice de Infestação Predial (IIP); Índice de Breteu (IB); a nota técnica sobre o uso do inseticida Fludora Fusion e a sanitização de ambiente ao combate do Coronavírus.

Dados

Até o momento, não há casos confirmados de dengue, Zika vírus, Chikungunya ou febre amarela em todo Maranhão. Em 2020, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) registrou 34 casos confirmados de dengue, três de Chikungunya e seis de Zika vírus. A redução do número de casos em relação ao mesmo período do ano anterior é de 2,85%, 80% e 25%, respectivamente.

Carregando