Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Chuvas fortes causam transtornos em São Luís e deixam moradores de área de risco em alerta

Segundo o Núcleo Geoambiental, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a previsão é de chuva para todos os próximos dias.

Moradores do bairro Salinas do Sacavém ficam em alerta, quando inicia o período chuvoso em São Luís (Foto: Gilson Ferreira)

A cidade de São Luís voltou a ser castigada pelas fortes chuvas, nessa Quarta-feira de Cinzas (17). O temporal que caiu desde a madrugada provocou alagamentos e buracos em vias diversos pontos da capital maranhense. No bairro Salinas do Sacavém, não houve incidentes, mas moradores disseram que sempre ficam preocupados a cada queda d’água na região.

“Aqui no Salinas do Sacavém sempre que chove ficamos receosos que haja novo desmoronamento de terra, como aconteceu há alguns anos. Mas, este ano ainda não houve nenhum incidente, porém estamos em alerta”, disse o morador José Raimundo de Oliveira Sousa.

No Anel Viário, as cargas d’água dissolveram parte do asfalto, que tinha sido recém colocado durante reforma do espaço. Uma estátua, que fica no canteiro de uma rotatória, desmoronou durante a chuva na madrugada de ontem. O monumento já apresentava rachaduras em sua base. Por volta das 10h, a estátua já tinha sido removida.

Na Vila Maranhão, zona rural de São Luís, uma erosão foi aberta na pista, atingindo o acostamento. Uma parte do asfalto já cedeu e o restante ameaça desmoronar na BR-135, que dá acesso ao Porto de Itaqui e Pedrinhas. Desde a terça-feira (16), o asfalto cede cada vez mais, onde já se formou uma cratera. O problema foi sinalizado com pneus e cones.

Em outro ponto no acostamento da estrada, uma parada de ônibus teve que ser retirada porque a cratera ameaçava engolir o abrigo, um risco para os usuários do transporte público.

RESIDENCIAL PRIMAVERA

As fortes chuvas que atingiram a capital maranhense teriam causado alagamentos no bairro Residencial Primavera, nas proximidades da Vila Embratel, provocando prejuízos e transtornos para os moradores da região.

De acordo com informações de pessoas que residem na comunidade, além das chuvas, os alagamentos são causados pela forte vazão de água que vem da áreade uma empresa mineradora instalada na região.

MAIS CHUVAS NOS PRÓXIMOS DIAS

De acordo com o meteorologista Hallan Cerqueira, do Núcleo Geoambiental (Nugeo) da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a chuva dessa quarta-feira foi de 33,2 mm. Na última semana, choveu 180 mm, e no mês passado o volume de água em São Luís foi de 137 mm.

Hallan Cerqueira informou que a previsão é de chuva para todosos próximos dias.

POSICIONAMENTO DA VALE

Sobre o alagamento ocorrido no Residencial Primavera durante as fortes chuvas que caem na cidade de São Luís desde a madrugada, a Vale informou à imprensa que disponibilizou uma equipe para visitar o local e apoiar na questão, sobretudo quanto à adoção de medidas a serem definidas pelas autoridades visando amenizar os efeitos das chuvas.

A mineradora informou também que está em contato com representantes da comunidade, Corpo de Bombeiros, Prefeitura Municipal de São Luís e Defesa Civil para acompanhamento dos próximos passos.

POSICIONAMENTO DA DEFESA CIVIL

A Defesa Civil Municipal informou que “já estava fazendo o monitoramento do Residencial Primavera e, na manhã dessa quarta-feira (17), retornou no local para uma reunião com representantes da Vale, da Semosp e da comunidade, na qual ficou acordada a execução de serviços de drenagem no canal existente na região, a fim de impedir outros alagamentos.

A Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) ressaltou que “conversou com os moradores afetados e se colocou à disposição para auxiliar na retirada as famílias, em caso de emergência ou solicitação”.

Carregando