Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Família e amigos realizarão manifesto por justiça antes do julgamento de Lucas Porto

Sessão do Júri Popular está marcada para acontecer na próxima quarta-feira (24), no Fórum Sarney Costa.

Antes do início do julgamento, familiares e amigos de Mariana Costa irão fazer uma manifestação para pedir justiça (Foto: Gilson Ferreira/Divulgação)

Na próxima quarta-feira (24), dia em que vai a júri popular o assassino confesso da publicitária Mariana Costa, o empresário Lucas Porto, familiares e amigos dela irão se reunir em frente ao Fórum Desembargador Sarney Costa, em São Luís, para fazer um manifesto pedindo justiça. O crime, ocorrido em novembro de 2016, teve grande repercussão no estado pela brutalidade e frieza do acusado, que era cunhado da vítima.

Por meio de um vídeo postados nas redes sociais, a irmã de Mariana, Carolina Costa, convida a população a fazer parte deste movimento que clama não apenas por justiça pela morte de Mariana, mas, também, pela de todas as mulheres vítimas de feminicídio.

“Em uma sociedade civilizada todas as vidas importam, porém o feminicídio tem uma peculiaridade, porque 88,8% dos casos são cometidos por pessoas próximas da vítima. Esse crime só cresce no Brasil e no mundo. A morte de mulheres foi durante muito tempo tolerado pela nossa sociedade e por isso essa lei do feminicídio é tão importante para nós. Este momento é de nós, como sociedade, estarmos unidos nesse enfrentamento à violência contra as mulheres”, explicou Carolina.

A publicação feita no perfil do projeto “Somos Todos Mariana”, criado em memória da publicitária e que desde o crime também atua auxiliando no combate ao feminicídio no estado e em defesa das mulheres vítimas de violência, destaca que ações como essa mostra aos agressores que não é admissível que mais Marianas sejam assassinadas.

“Portanto, penas severas devem ser impostas para Lucas Porto para que seja imposta pena justa, merecida e preventiva. Isto é, proporcional à gravidade objetiva do fato e inibidora de novos feminicídios no estado do Maranhão”, diz outro trecho.

O manifesto está marcado para começar às 8h, uma hora antes do início do julgamento de Lucas Porto, no bairro do Calhau, na capital maranhense.

RELEMBRE O CASO

A publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, foi achada morta no quarto do apartamento em que morava, no bairro do Turu, em São Luís, no dia 13 de novembro de 2016. Conforme a Polícia Civil, ela foi vítima de estupro e asfixiada até a morte. O cunhado Lucas Porto figurou desde o começo das investigações como principal suspeito do crime. Câmeras de segurança do condomínio o flagraram deixando o imóvel pelas escadas bastante nervoso. Inicialmente ele negou, mas depois acabou confessando e alegando ter sido motivado por uma forte atração que sentia por Mariana. O acusado, indiciado por estupro e feminicídio, segue custodiado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, desde o dia seguinte ao crime, quando foi preso em flagrante.

Carregando