Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Tesouro Direto: títulos fecham fevereiro no vermelho

Mês foi de perdas para mais de 70% dos títulos negociados na plataforma do Tesouro

Foto: Reprodução

Os títulos do Tesouro Direto – um dos investimentos mais conservadores do mercado – tiveram rendimento negativo em fevereiro. Dos 26 títulos negociados no mercado, apenas cinco ficaram no azul, e somente três renderam mais do que o CDI no mês.

O resultado destoou das previsões de analistas no começo do mês, pois esperavam alguma sinalização de andamento de reformas no Congresso com a eleição de dois nomes apoiados pelo Executivo para o comando das duas casas.

A expectativa era a de diminuição do prêmio de risco, e o que aconteceu foi justamente o contrário. O risco aumentou e as taxas subiram, prejudicando, principalmente, os títulos mais longos, que têm maior sensibilidade às taxas.

Alan Ghani, head de renda fixa da Exame Invest Pro, afirma que o desempenho abaixo do esperado foi fruto de uma conjuntura de fatores desfavoráveis.

“Tivemos a alta dos juros nos Estados Unidos, a aceleração inflacionária no Brasil, a descoberta de novas variantes do coronavírus, o aumento do número de casos de Covid-19 e, finalmente, a intervenção do presidente Jair Bolsonaro na Petrobras. Tudo isso influencia negativamente”, afirma Ghani.

O Tesouro Selic com vencimento em 2025 chegou a fechar ligeiramente no vermelho, com baixa de 0,03%. A última vez que isso havia acontecido foi em outubro do ano passado, quando a piora na perspectiva das contas públicas fez com que os títulos públicos indexados à Selic recuassem.

Investimento

TítuloÚltimos 30 diasNo Ano
Tesouro Prefixado 20220,01-0,33
Tesouro Prefixado 2023-0,26-1,83
Tesouro Prefixado 2025-1,43-4,94
Tesouro Prefixado 2026-1,87-6,03
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2023-0,29-1,64
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2025-1,82-4,68
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2027-2,3-6,01
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2029-2,78-7,54
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2031-3,23-8,7
Tesouro Selic 20210,160,3
Tesouro Selic 20230,060,22
Tesouro Selic 2025-0,030,15
Tesouro IGPM+ com juros semestrais 20213,25,9
Tesouro IGPM+ com juros semestrais 20311,376,67
Tesouro IPCA+ 2024-0,39-1,4
Tesouro IPCA+ 2026-0,93-2,72
Tesouro IPCA+ 2035-1,93-5,31
Tesouro IPCA+ 2045-3,8-9,93
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2024-0,29-1,14
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2026-0,75-2,19
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2030-1,53-3,96
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035-1,48-4,12
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2040-1,47-4,25
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2045-1,38-4,14
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2050-2,34-5,31
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2055-3,09-6,71

 

Referência

 

ÍndiceDesempenho em fevereiro (em %)Desempenho em 12 meses (em %)
CDI0,162,39

 

Ghani destaca, no entanto, que o resultado não é preocupante como o de 2020. “O Tesouro Selic 2025 encerrou o mês com leve variação negativa, praticamente no zero a zero. Ainda assim, os títulos atrelados à Selic foram os de melhor performance no mês”.

Nominalmente, o Tesouro IGPM+ foi o que apresentou o melhor desempenho, mas é um título que não é emitido desde 2016. “Quem comprou, não vende mais. É o que está rendendo melhor”, completa o analista.

O resultado atual não significa que os títulos do Tesouro deixaram de ser atrativos. “Considerando que são impactos de curto prazo, o investidor não deve sair do investimento em um momento de estresse, ou vai acabar realizando o prejuízo”, avalia Juliana Machado, especialista em fundos.

Carregando