Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Quer desestressar? Saiba como relaxar em casa sem cair no tédio

A importância de conseguir relaxar e abstrair é ainda mais importante após o ano de 2020.

Ter um tempo para si e não pensar em nada é muito importante. (Fonte: Pixabay)

Quem está sempre preocupado com o tempo que passa no trabalho ou estudando sonha com o momento de voltar para casa, relaxar e simplesmente apreciar estar no próprio espaço.

Ao mesmo tempo, quem passa tempo demais em casa se preocupa, eventualmente, em simplesmente ficar entediado demais e sentir que está desperdiçando a chance de fazer algo senão útil, ao menos interessante.

Algumas pessoas trabalham acima da média do que era comum; outras tentam se divertir de maneiras novas, como jogando em sites de cassino online e fazendo apostas, o que se encontra em plataformas como o Bacana Play, Net Jogos, Mini Clip, Round10 entre outros. A busca é por uma diversão diferente e empolgante.

A ideia dos games é muito interessante porque eles não só são um entretenimento como podem ser fonte de conhecimento ou até de aumento de habilidades (como a coordenação motora).

A importância de conseguir relaxar e abstrair é ainda mais importante após o ano de 2020, quando trabalhando, estudando ou nenhum deles, estamos passando mais tempo do que nunca em casa. Isso quer dizer que, talvez num nível inédito, estresse e tédio estão se digladiando no cotidiano de todos. Como melhorar essa situação e encontrar o tão sonhado equilíbrio? Difícil, mas não impossível de responder.

Organize seu tempo

Estar muito tempo em casa, seja trabalhando como nunca ou simplesmente sem poder fazer nada, é estressante. Uma pesquisa feita pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) indicou, aliás, que os brasileiros estão mais estressados do que nunca agora na pandemia. O aumento de pessoas que se declaram com raiva, ansiosas e mesmo depressivas está preocupantemente alto.

Claro que muitos desses quadros dependem de outros fatores: preocupação com a própria saúde e a dos familiares, medo de perder o emprego, ansiedade para com os filhos perdendo aulas ou se vendo socialmente isolados, enfim. Outros tantos, porém, podem e devem ser controlados por nós mesmos.

O primeiro deles é o controle sobre o tempo. O bem mais precioso e, ao mesmo tempo, mais perigoso à nossa disposição é o tempo. Ele rege a vida, o cotidiano, os deveres e o lazer de todos, e sem respeitá-lo ninguém consegue chegar a lugar nenhum, simples assim.

Organizar a rotina de forma produtiva, mas que, ao mesmo tempo, não seja exaustiva do ponto de física mental (e físico também, porque não?) é um desafio ao qual todos se veem submetidos; cada um à sua maneira e dentro das suas possibilidades precisa tentar aproveitar melhor o tempo do qual dispõe. Às vezes uma simples agenda ou planner dá conta do recado e proporciona uma mudança substancial na qualidade de vida.

Cada coisa em seu lugar

Uma casa arrumada sempre vai passar uma sensação satisfatória para quem está dentro dela, mas esse é apenas um dos diversos fatores que vão compor um ambiente que seja desestressante por si só – afinal, quem consegue relaxar com uma pia transbordando de louça suja ou uma gaveta sem roupas limpas para vestir depois do banho?

Deixar a casa em ordem pode ser o primeiro passo para aliviar a mente e relaxar os sentidos – começando por atitudes das mais simples, como arrumar a cama pela manhã. Passar o dia inteiro trabalhando (mesmo que seja no mesmo quarto onde se dorme) e encontrar lençóis esticados para deitar em seguida é uma das pequenas satisfações que, depois de conquistada, dificilmente deixa de virar hábito.

O espaço doméstico organizado pode ser um de tantos pequenos segredinhos para proporcionar mais bem-estar a quem está inserido nele, mas o externo representa apenas um dos passos a serem seguidos.

Cuidando de si mesmo

Em meio a tanto estresse, ansiedade e cobranças de todos os lados (talvez de si mesmo acima de todos os outros), saber não apenas arrumar tempo, mas também meios para cuidar de si próprio pode ser a diferença entre um dia considerado ótimo e um considerado desperdiçado.

Cuidar de si mesmo pode ser tão simples quanto fazer uma boa refeição, lembrar de fazer uma pausa no trabalho para descansar, ler um livro, jogar algo ou simplesmente contemplar o teto – pouco importa, desde que a mente possa se recuperar junto com o corpo para as obrigações do porvir.

Lembrar de pequenos detalhes pode ser, no fim das contas, a diferença entre o estresse e o tédio numa rotina tão modificada e, aparentemente, à qual nunca iremos nos adaptar. O mais importante, não importa se no escritório, no carro ou em casa, é sentir que estamos aproveitando o tempo da melhor maneira possível.

Carregando