Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Bares e restaurantes de São Luís param os serviços de delivery como forma de protesto

Segundo a categoria, apenas com as modalidades de entrega não é possível viabilizar nem 10% do faturamento das empresas

Foto: Reprodução

Bares e restaurantes de São Luís estão organizando uma paralisação no serviço de delivery e take out como forma de protesto, contra o que a categoria chama de discriminação por parte da gestão estadual. A paralisação está agendada para esta terça-feira (23).

Segundo uma carta aberta do Sindicato Empresarial de Bares, Restaurantes e Similares do Maranhão (Sindebares) e da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Governo do Maranhão não realizou diálogo com a categoria antes de decidir pelas medidas restritivas, que estão em vigor e seguem até o dia 28 de março.

Segundo a nota, apenas com as modalidades de entrega não é possível viabilizar nem 10% do faturamento das empresas. Além disso, a categoria questiona os motivos que levaram o Estado a fechar apenas o setor de bares e restaurantes, enquanto os demais segmentos permanecem funcionando normalmente.

Por nota a Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) informou que sempre houve diálogo franco e transparente com toda a classe empresarial e com o setor de bares e restaurantes.

Segue a nota da Seinc

“A Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), esclarece que sempre houve diálogo franco e transparente com toda a classe empresarial e com o setor de bares e restaurantes.

Diversas reuniões foram realizadas, mostrando os dados da pandemia do novo coronavírus, as ações realizadas pelo Governo do Estado e as medidas que estão sendo adotadas.

Recentemente, abrimos inscrições do auxílio para bares e restaurantes, no valor de R$ 1.000 reais, que já começaram a ser pagos.

Protocolos sanitários e diversas medidas foram debatidas com o setor e entidades, afim de juntos colaborarmos para minimizar os impactos da pandemia .

Todas as medidas adotadas sempre são avaliadas pelo comitê científico do estado e pedimos a colaboração de todos para, juntos, vencermos esse desafio.”

 

 

Carregando