Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Casa de Apoio Acolher realiza campanha para aquisição do prédio onde está instalada

Entidade recebe pacientes maranhenses com HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Durante a pandemia de Covid-19, a Casa Acolher tem realizado doações de cestas básicas às pessoas atendidas pelo projeto (Foto: Divulgação)

Uma residência diferente das outras, pois ela atua na tarefa de cuidar de pessoas com Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis. A Casa de Apoio Acolher é um projeto que existe há dois anos, e desde o mês passado iniciou um movimento para arrecadação de dinheiro com o objetivo de comprar o prédio onde está instalada, atualmente. O imóvel fica localizado na Rua Muniz Barreiros, no bairro da Jordoa, em São Luís.

É uma edificação alugada parao desenvolvimento das ações da instituição. Segundo o coordenador da Acolher, Alisson Ferreira, o espaço está à venda, e a coordenação da casa de apoio quer adquiri-lo.

Alisson Ferreira informou que a meta da campanha é alcançar a doação total de R$ 250 mil, correspondente ao valor do imóvel. “A campanha iniciou-se com a ideia do PIX Solidário, quando um valor simbólico de R$ 2 pode ser doado. Se 125 mil pessoas contribuírem com essa quantia mínima, nossa sede poderá ser comprada. Doações maiores também são bem vindas, e podem ser feitas por PIX ou transferências bancárias”, informou.

Os dados bancários são:Banco do Brasil, agência 1414-1, conta corrente 65965-7. CNPJ: 07.603.977/0001- 42.PIX: (98) 988186272.

O coordenador da casa de apoio informou que ela oferece estadia, refeições, lazer, oficinas terapêuticas, escutas sobre suas dores e descobertas, dificuldades e alegrias.

Segundo Alisson Ferreira, a instituição é mantida com as contribuições dos próprios voluntários e as doações feitas por pessoas e segmentos da sociedade.

“A Casa Acolher dá acolhimento às pessoas que vivem e convivem com HIV/Aids de todo o Maranhão. Todo dia refeições são oferecidas (café da manhã, almoço e lanche da tarde). Há também atendimentos sociais, psicológicos, jurídicos e nutricionais, todos de forma gratuita. Distribuição de cestas básicas, roupas, kits de higiene e preservativos”, destacou Alisson.

QUASE CINCO MIL ATENDIMENTOS

O coordenador contou que o projeto foi criado há dois anos, e durante toda sua existência já atendeu cerca de 4.800 pessoas, que fazem tratamento no Hospital Presidente Vargas, e precisam de um lugar para descansar até retornarem para seus municípios.

“Por conta da pandemia de Covid-19, estamos com alguns atendimentos remotos, como as consultas com psicólogos, que acontecem de forma online. A maioria do nosso público é oriunda do interior do Maranhão, cerca de 70%”, frisou Alisson.

PRODUÇÃO DE BONECAS

O coordenador da Casa Acolher informou que desde o início da pandemia de coronavírus, a instituição se mantém, de forma majoritária, com a venda de bonecas de pano.

“Muitas pessoas também colaboraram, e recebemos ainda doações de cestas básicas e produtos de higiene”, informou Alisson.

O ateliê onde são produzidas as bonecas fica dentro da sede, na Jordoa. Cinco mulheres fabricam o brinquedo, de forma artesanal.

PONTOS DE VENDA DAS BONECAS

No momento, a Casa de Apoio Acolher tem 17 pontos de vendas solidários das bonecas de pano. São eles:

• Ville Restaurante (Jardim São Francisco)

• Loja Água viva Tropical – São Luís Shopping

• Clínica Dr. NatassiaWeba (Quintas do Calhau)

• Loja Lindeza Bijuterias – Shopping Rio Anil

• Loja Meninas de São Luís – Centro Histórico/Reviver

• Loja Cantinho do Bolo (Cohajap, Ponta do Farol e Cohafuma)

• Loja WM (Tropical Shopping – Renascença)

• Loja Celebration (Tropical Shopping – Renascença)

• Loja Quintal da vovó (Jardim Eldorado)

• Loja Nutrilight – Vida Saudável (Renascença, próximo ao Posto Paloma)

• Loja Karolicias (Sede na Cohama)

• Clínica Cirúrgica Fontelles (Jaracati)

• Amei Studio de beleza (Tropical Shopping)

• Restaurante Oxente (São Luís Shopping)

Carregando