Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Shopping Rua Grande será inaugurado em julho no Centro Histórico de São Luís

O prédio funcionará na antiga sede da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), na Rua Grande, perto do Canto da Viração (Rua do Passeio).

Projeção de como será a fachada do Shopping Rua Grande (Reprodução)

Por meio do projeto Adote um Casarão, o Centro Histórico de São Luís vai receber, no mês de julho deste ano, o Shopping Rua Grande. De acordo com o Governo do Maranhão, “o espaço oferecerá o conforto e a segurança de um shopping convencional, ao mesmo tempo em que terá um andar especial dedicado para a difusão da cultura maranhense”.

A gestão estadual informou que o empreendimento, de 2.100m², vai funcionar em 3 pavimentos: térreo, 1° piso e 2° piso. Terá ar condicionado central, elevador e sistema de wifi. O governo ainda prevê a geração de 172 empregos diretos em serviços de operacionalização (segurança, administração, limpeza, entre outros) e nas atividades comerciais nas lojas, boxes, quiosques e duas megalojas. Em cada pavimento haverá uma bateria de banheiros, atendendo a uma demanda não oferecida na área comercial do centro.

Localizado no prédio onde funcionava a antiga sede da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), na Rua Grande, perto do Canto da Viração (Rua do Passeio), ficará aberto em horário de shopping, das 10h às 22h (12 horas por dia), de segunda-feira a sábado, e aos domingos, a partir das 12h até às 18h.

O horário de funcionamento possibilitará um incremento no movimento noturno na área comercial do Centro Histórico de São Luís, no período das 18 às 22h, quando o fluxo de transeuntes e carros diminui com o fechamento do comércio. É o momento em que aumenta o número de vagas de estacionamento que poderão ser utilizadas por consumidores de outras áreas da cidade interessados em frequentar o shopping no período da noite.

“É uma opção noturna permanente que ofereceremos no Centro Histórico de nossa cidade”, afirma Marcos Antônio Matias Silva, de 52 anos, empresário adotante do imóvel, por meio do Programa Adote um Casarão, e que está investindo R$ 1,2 milhão na obra.  

O governo acredita que, no período do dia, a frequência deve envolver mais transeuntes do Centro Histórico de São Luís. A projeção é que, das 5 mil pessoas que transitam pela Rua Grande diariamente, cerca de 1.000 circulem pelo shopping.

Espaço Cultural

O 2° piso (o último andar do imóvel) será o Espaço Cultural, com venda de artesanato, produtos de artistas, de grupos culturais maranhenses e de comidas típicas. A comercialização será em 20 bancas e em mais 5 lojas. Terá um espaço para apresentações musicais e da cultura popular e outro para exposições de arte.

Um dos cartões de visita desse pavimento será a vista panorâmica que o público terá da Praça Deodoro e uma parte do Rio Anil. O planejamento arquitetônico deu ênfase a essa possibilidade que poderá ser desfrutada pelo público que visitar o shopping.

Está sendo montada uma equipe especial de gestão desse espaço cultural, informa Paula Mendonça, arquiteta responsável por toda a obra. Essa equipe vai deliberar alguns detalhes funcionais do espaço.

O que já está definido é que o uso será para setores da cultura maranhense. “A nossa referência foi o padrão da feirinha da Praça Benedito Leite”, compara Paula Mendonça.

Fachada

Como o shopping terá um conceito vinculado à cultura maranhense, a ideia é privilegiar, na fachada, as cores da terra. “São tons em marrom que remetem ao nosso artesanato, ao uso da terra pelas mulheres, como as quebradeiras de coco, e pelos homens, como meio de sustento e forma de viver”, explica Paula Mendonça.

O térreo do shopping terá ligação direta com a Rua Grande, permitindo um fluxo de mais de pessoas aos 14 boxes de 5m²; 16 espaços de lojas, de 14 a 35 m²; 2 quiosques; e uma megaloja.

O 1° piso terá 4 quiosques, 5 lojas, uma segunda megaloja e a praça de alimentação (onde funcionará o sistema de wifi) unida a um pátio panorâmico com vista para a Rua Grande e para o Palacete Gentil Braga, um dos mais belos imóveis históricos do Maranhão, revestido de azulejos azuis e onde funciona do Departamento de Assuntos Culturais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Carregando