Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pessoas em situação de rua fazem teste de Covid na região do Centro de São Luís

Também foram oferecidos serviços de saúde como aferição de glicemia, teste de hepatites B e C, sífilis e outras ISTs.

Testes rápidos de Covid-19 para pessoas em situação de rua (Foto: Márcio Sampaio)

Em ação promovida pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual) e pela Delegacia de Costumes, nessa quarta-feira (31), o governo do Estado levou testes rápidos para a detecção da Covid-19 em pessoas que estão em situação de rua. A ação aconteceu na Praça Antônio Lobo, em frente à igreja de Santo Antônio, no Centro de São Luís. Também foram oferecidos serviços de saúde como aferição de glicemia, teste de hepatites B e C, sífilis e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

“A mobilização busca fazer o monitoramento de quem está em situação de rua pelos motivos mais diversos, trazendo testes para Covid e doenças sexualmente transmissíveis. Além disso, também oportunizamos tratamento psicossocial para quem decidir mudar de vida, levando dignidade e cuidados em saúde a quem, muitas das vezes, não é visto pela sociedade”, informou o coordenador do Caps AD, Marcelo Costa.

A proposta da atividade é tanto contribuir para controle da pandemia entre as pessoas em situação de rua, pelo fato de serem consideradas mais vulneráveis à doença, como também orientar sobre a exposição a outras infecções. Para isso, foram destinados cerca de 100 testes para a Covid-19, além de outros 400 testes rápidos para detecção de ISTs.

Diolinda Serra, de 46 anos, foi uma das pessoas beneficiadas pela mobilização do Caps. “Achei muito boa a ideia. Por não termos condições de ir a uma unidade mista ou posto de saúde, fico contente que tanto eu como outros na mesma situação possam receber esses serviços”, compartilhou.

A ação contou com a presença de equipe multiprofissional composta por farmacêutico, bioquímico, médico clínico, enfermeiro e técnico de enfermagem.

Enquanto recebiam atendimento, as pessoas também eram orientadas por assistentes sociais da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas). De acordo com o titular da Delegacia de Costume, Joviano Furtado, saúde e assistência social sempre caminham juntos. “As pessoas em situação de rua são bastante vulneráveis e, por isso, precisam da nossa atenção. Para que tenhamos o sucesso esperado, contamos com a presença da Semcas, pois se alguém testar positivo, o município irá providenciar o processo de isolamento, e assim evitaremos que o vírus seja transmitido para outros”, observou.

Carregando