Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Dono de lava a jato é preso por tentativa de feminicídio em São Luís

Suspeito foi capturado ao tentar levar buquê de flores e urso de pelúcia para a vítima no hospital.

Francisco de Assis foi preso quando pretendia entregar presentes para a vítima, pelo aniversário de namoro (Foto: Divulgação)

Foi preso na sexta-feira (9), o dono de um lava a jato  localizado na Avenida dos Africanos, em cumprimento a mandado de prisão temporária pela tentativa de feminicídio da sua ex-namorada, ocorrida no mês de março deste ano, em São Luís. Francisco de Assis Américo Oliveira Filho, de 39 anos, não aceitava o fim do relacionamento.

No dia do crime, dentro do apartamento dela, na Avenida Mario Andreazza, ele desferiu várias facadas na vítima, que foi atingida nas mãos, costas, rosto e pescoço.

Antes de ser esfaqueada, a mulher havia pedido que o filho, de 12 anos, descesse para pedir ajuda ao porteiro. Ao retornar, o menino já encontrou a mãe bastante ensanguentada, depois de ter lutado com o agressor para não morrer.

Com a ajuda de um motorista de aplicativo, a vítima foi levada para um hospital da capital, onde passou por uma cirurgia na mão. Ela segue, um mês depois, sentindo muita dor na coluna e tem dificuldade para mover um dos braços.

Desde o crime, conforme apurado pela reportagem do Jornal Pequeno, Francisco estava levando uma vida normal. Nas redes sociais, seguia postando fotos e vídeos durante o trabalho e nas horas de lazer, com bebidas e passeios, até ser preso pela Polícia Civil.

FLORES E PRESENTES

O suspeito foi capturado na entrada de um hospital, no bairro do Calhau, quando aguardava para entregar um presente para a vítima. Conforme ele disse aos policiais, o casal comemoraria um ano de namoro na sexta-feira passada. Com Francisco, foram encontrados um buquê de flores e um urso de pelúcia.

Depois de interrogado na sede da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), o preso foi encaminhado ao presídio, onde aguardará manifestação da Justiça. O caso continua sendo investigado pelo Departamento de Feminicídio.

Carregando