Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Acordo entre patrões e rodoviários põe fim à greve na Viação Estrela em São Luís

Empresa, que atende a Área Itaqui-Bacanga, parte da zona rural e do Polo Coroadinho, estava sem circular desde terça-feira.

Motoristas e cobradores ficaram concentrados em frente à garagem da Viação Estrela, não permitindo a saída dos ônibus (Foto: Gilson Ferreira)

Durante reunião realizada na manhã dessa quinta-feira (15), entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (Sttrema) e a empresa Viação Estrela – situada no Anjo da Guarda, em São Luís –, os empresários disseram que, até segunda-feira (19), creditarão os valores salariais pendentes aos funcionários. Os trabalhadores aceitaram o acordo.

Com a decisão, a categoria deu fim à paralisação da frota do transporte público coletivo, que atende à região Itaqui-Bacanga e parte da zona rural de São Luís, cuja greve tinha sido iniciada na terça-feira (13).

De acordo com o diretor de Comunicação do Sttrema, Gilson Coimbra, o saldo pendente do salário de cada funcionário da Viação Estrela será repassado em até quatro dias. O impasse entre Sttrema e os empresários já durava mais de 48 horas.

“A Viação Estrela fez o pagamento por hora trabalhada, gerando o descontentamento dos rodoviários, que iniciaram na terça-feira o movimento paredista”, informou Gilson Coimbra.

“São pessoas contratadas por regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Logo, mesmo havendo os dias de folga, elas têm o direito legal de receberem seus salários integralmente”, complementou o presidente do Sttrema, Marcelo Brito.

Nessa quinta-feira, antes da reunião que resultou no acordo, o Sttrema informou que a empresa Viação Estrela teria realizado a contratação temporária, somente de motoristas, para que pudessem circular com os ônibus que estavam parados, há mais de dois dias.

Para o sindicato, a medida adotada pela empresa foi um grande descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho dos Rodoviários, já que nenhum ônibus poderia circular pela cidade sem a presença do cobrador.

Devido a esta situação, na manhã de ontem, na porta da garagem da Viação Estrela, o Sttrema realizou uma ação de fiscalização, com foco em coibir que 17 ônibus circulassem por São Luís, sem cobradores. Os ônibus da Viação Estrela atendem à região Itaqui-Bacanga e polo Coroadinho. Não houve tumulto no local.

Pelo menos sete viaturas do 1º Batalhão da Polícia Militar estavam estacionadas em frente à garagem da empresa, sendo que a Tropa de Choque da PM acompanhou a movimentação no endereço.

LIMINAR

No mesmo dia em que a paralisação tinha sido iniciada, na manhã de terça-feira, o desembargador Gerson de Oliveira Costa Filho determinou o imediato retorno dos empregados do transporte rodoviário, com a manutenção de 100% de toda a frota operante da Grande São Luís, incluindo os municípios de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar. Em caso de descumprimento, a multa diária era de R$ 20 mil.

Na decisão, ficou determinado ainda que é vedada ainda a prática de protestos alternativos que prejudiquem o andamento dos serviços prestados.

“O Sttrema respeitou a liminar, inclusive, pediu para os rodoviários voltarem a trabalhar, mas eles se negaram, antes que houvesse um acordo sobre o pagamento de salários. Os advogados do Sttrema fizeram uma petição para dizer à Justiça o que acontece no sistema de transporte de São Luís, que é os empresários se negando a pagar os salários dos funcionários”, informou Marcelo Brito.

VIAÇÃO AROEIRAS

De acordo com Gilson Coimbra, os rodoviários da Viação Aroeiras, instalada na Cidade Operária, também devido ao pagamento fracionado do salário, iniciaram uma paralisação, na manhã de ontem. Os coletivos da empresa atendem aos bairros da região da Cidade Operária. Lá, as negociações se deram de forma mais rápida.

No fim da manhã, após sair da garagem da Viação Estrela, Marcelo Brito, presidente do Sindicato dos Rodoviários, esteve na garagem da empresa, com o intuito de tentar resolver o impasse. Os patrões se comprometeram em pagar o salário integral dos trabalhadores, já a partir desta sexta-feira (16).

Carregando